Últimas

O que deu errado em "O Sétimo Guardião"

quarta-feira, 20 de março de 2019

Faltando menos de dois meses para chegar ao fim, "O Sétimo Guardião" ainda não conseguiu emplacar na faixa das 21h da Globo. A trama escrita por Aguinaldo Silva, um dos maiores autores da teledramaturgia brasileira, começou a apresentar problemas bem antes de sua estreia. No ar, sofre com rejeição do público, audiência insatisfatória, atrasos e confusões nos bastidores.

A seguir, veja o que deu errado na novela de Aguinaldo Silva:

Autoria em xeque. Antes da estreia, "O Sétimo Guardião" sofreu ameaça de não ter seu primeiro capítulo exibido. Silvio Cerceau, ex-aluno da oficina de roteiristas ministrada por Aguinaldo Silva em 2015, reivindicou a coautoria da novela, entrou na Justiça com um pedido de liminar exigindo seu nome nos créditos da nova trama global. Segundo Cerceau, a sinopse e o primeiro capítulo da novela teriam sido criados durante o curso ministrado pelo veterano, com 26 participantes. O imbróglio sobre a autoria de “O Sétimo Guardião” começou em novembro de 2017 quando surgiram as primeiras notícias sobre a aprovação da obra de Aguinaldo Silva para a programação de 2018. O autor teria apresentado a ideia para a direção da Globo, que aprovou e deu carta branca para prosseguir com a trama.

Realismo fantástico ou fogo de palha? O autor Aguinaldo Silva prometeu trazer de volta o realismo fantástico ao horário nobre da Globo. Entre seus trabalhos de sucesso que abusaram positivamente desta pegada estão os sucessos "Roque Santeiro", "Tieta" e "A Indomada". Para decepção do público, "O Sétimo Guardião" ficou devendo no quesito realismo fantástico. Além da fotografia considerada sombria e soturna, a história mostrou-se confusa e lenta. Apesar do gato León, a "fonte da juventude" e raras situações mirabolantes, Aguinaldo economizou nos recursos e apenas fez referências a algumas de suas obras. Todo o mistério envolvendo a fonte e os chamados 'guardiões' exauriu-se antes da metade da novela. Junto foi embora a grande expectativa do público.

Protagonistas rejeitados.  Mocinhos e vilões são importantíssimos para movimentar uma trama. O problema é quando o público torce o nariz para os mesmos. Em "O Sétimo Guardião", os protagonistas são irritantes ao extremo. A aguardada vilã Valentina Marsala interpretada por Lilian Cabral não vingou. A experiente atriz vive, talvez, seu pior trabalho da carreira com desempenho abaixo do esperado. Tony Ramos, que também tocaria o terror em Serro Azul, teve seu papel e talento desperdiçados. Seu personagem Olavo se transformou num vilão palerma e capacho. O casal de mocinhos Gabriel (Bruno Gagliasso) e Luz (Marina Ruy Barbosa) foram rejeitados pelo público pela falta de química, perdendo espaço e notoriedade na trama.

Outra novela nos bastidores. Uma novela se instalou nos bastidores de "O Sétimo Guadião", chamando atenção do público. O drama pessoal que envolveu os nomes de José Loreto e Marina Ruy Barbosa prejudicou o andamento das gravações. O fato de a atriz ter sido apontada como pivô da separação de Loreto e Débora Nascimento gerou um clima péssimo nos bastidores, e os dois não conseguiram gravar cenas como Luz e Júnior. Marina negou qualquer envolvimento. A atriz chegou a se estressar com Loreto e teve uma crise nervosa durante as gravações. Para piorar ainda mais o clima em "O Sétimo Guardião", Marina também esfriou a relação profissional com Bruno Gagliasso. O galã era amigo da atriz, mas ela não gostou do fato de a mulher dele, Giovanna Ewbank, ter deixado de segui-la no Instagram justamente num momento difícil de sua vida. Gagliasso ficou ao lado da mulher, que foi até madrinha do casamento de Marina. Os protagonistas não se falam nem batem mais texto nos Estúdios Globo.

Para desespero do autor e direção, Gagliasso precisou deixar as gravações da novela. O ator teve uma crise renal e foi internado às pressas. Por conta do estresse e atrasos do elenco central nos bastidores, o andamento da trama de Aguinaldo Silva sofreu para conseguir recuperar a frente de capítulos. Além desses problemas, diversos atores estão insatisfeitos com o autor por conta do rumo de seus personagens.

Audiência abaixo do esperado. Devendo realismo fantástico a altura, a obra de Aguinaldo Silva encontrou dificuldade para emplacar no Ibope. E tantos outros problemas contribuíram para uma audiência oscilante, bem abaixo da antecessora "Segundo Sol". Em sua décima nona semana de exibição, "O Sétimo Guardião" capenga com apenas 28 pontos de média geral. Um índice desapontador para a alta cúpula da Globo, visto que a meta para os padrões atuais de uma novela das 21h é de 30 pontos. 

Outras postagens