sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Retrô 2017: 3 maiores polêmicas protagonizadas por Silvio Santos

Compartilhe

Silvio Santos encerra 2017 cheio de vigor e, como sempre desbocado e sem filtros, o apresentador e dono do SBT colecionou grandes polêmicas durante o ano. A seguir, relembre as 3 maiores polêmicas protagonizadas por Silvio Santos em 2017.

Constrangeu Maísa


Em junho, nem a pupila Maisa Silva escapou das gracinhas de Silvio Santos. Em uma das muitas participações que costuma fazer no "Programa Silvio Santos", Maisa se sentiu constrangida pelo apresentador, que sugeriu que ela namorasse o também apresentador Dudu Camargo.

Diante da insistência de Silvio, Maisa perdeu a paciência. “Não estou aqui para arranjar namorado. É um ultraje você me submeter a uma situação dessa”, disse Maisa, que depois se tornou alvo das redes sociais, onde foi acusada de grosseria. “Até quando as mulheres vão viver precisando aceitar tudo?”, desabafou a atriz no Facebook. Não satisfeito, Silvio Santos quis promover um novo encontro com Maisa e Dudu no seu programa. Ao se ver novamente constrangida, a atriz abandonou a gravação.

Detonou Fernanda Lima


Em agosto, Silvio Santos se envolveu numa polêmica quente com a apresentadora global Fernanda Lima. Tudo começou quando ele disse durante um programa dominical que ela era "magrela, muito magra", que "não tem amor nem sexo" e "quem gosta de osso é cachorro". Depois ela foi questionada sobre o que responderia a ele pelo "Pânico Na Band" e sugeriu: "Silvio, por que não te calas?". Em outra gravação, Silvio respondeu em tom bem-humorado: "Fernanda, eu vou me calar, mas não vou me calar agora, vou fazer uns 10 programas só falando de você".

Depois de compartilhar um texto criticando o apresentador e causar irritação na filha dele, Patrícia Abravanel, a mulher de Rodrigo Hilbert desabafou sobre o assunto: "Diante de tantas manifestações carinhosas e outras tão agressivas que venho recebendo ao longo dessas semanas, resolvi escrever para elucidar os pontos que acredito e que não me fizeram calar diante desse debate público, afinal nada aqui é pessoal. É coletivo, é político".

Fechou a mão contra o Teatro Oficina


Em outubro, outra polêmica rendeu críticas a Silvio Santos por conta do embate do empresário com o Teatro Oficina, companhia teatral do ator e diretor José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, com sede no Bexiga, região central de São Paulo. Há 37 anos, o dono do SBT tenta erguer um empreendimento imobiliário nos terrenos em volta do prédio que abriga o grupo, cujo projeto, tombado, é assinado pelos arquitetos Flávio Império e Lina Bo Bardi (a mesma do Masp e do Sesc Pompeia). Nos anos 1980, ele tentou comprar o terreno do próprio teatro. Mas, assim como naquela década foi parado por um movimento de artistas e políticos que defenderam o Oficina, incluindo o pianista João Carlos Martins, que era secretário estadual de Cultura e desapropriou o terreno, agora voltou a ser criticado por artistas e políticos como o petista Eduardo Suplicy.

A divulgação do vídeo da reunião em que o prefeito de São Paulo, João Doria, tenta achar uma solução que concilie os interesses de ambos os lados deu munição a quem discorda de Silvio Santos. Além de não escutar os argumentos do Oficina, ele faz piadinhas, diz que vai jogar a “drogalândia” (como se refere à cracolândia) no lugar e refuta a ideia de deixar um legado positivo para a cidade ao morrer. “Eu não pretendo morrer”, diz.
Compartilhe