terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Record não vai pra frente por que não pensa a longo prazo

Compartilhe
Protagonistas de "Belaventura"

A Record, como sempre, vive dando tiros no pé e no escuro e esmurrando pontas de pregos. E a danada não aprende nunca.

O sonho dos bispos, que nada entendem de TV, era ter uma grade noturna parecida com a intocável e bem sucedida grade da Globo. Até que tentaram. Há pouco mais de um ano, a Record reinaugurava seu segundo horário de novelas e, há poucos meses, lançou uma nova programação no horário nobre. 

Esta última investida tem sido uma desgraça. Desgraça do tipo anunciada, que todo mundo alertou. Para piorar, reprisaram "Os Dez Mandamentos", outra desgraça em termos de audiência. Hoje, a Record tem três novelas no horário nobre, uma reprise e duas inéditas. Uma trinca fracassada.

Enquanto a Globo tem uma longa fila de projetos confirmados e em estudo para preencher suas faixas de teledramaturgia, a Record praticamente não tem nada a vista. A emissora modestamente vive um dia após vez, não pensa a longo prazo. Falta planejamento. Não é o que se espera de uma empresa de tamanho porte.

Desde que foi lançado o segundo horário de novelas inéditas, a Record produziu apenas "Escrava Mãe" e a atual "Belaventura". Entre as duas, por falta de opção e planejamento, reprisaram novamente a "A Escrava Isaura". Para substituir a atual, pensaram em "Topíssima", que já foi adiada e que, segundo contam, poderá ser cancelada junto com o segundo horário.

Atravessando uma crise de audiência apocalíptica, a emissora deve manter apenas um horário de novelas inéditas, as desgastadas bíblicas. Falando na trágica e cara "Apocalipse", os bispos nem fazem ideia do quê ou quem a sucederá.

Se a Record quer tanto imitar ou copiar a Globo, que comecem pelo o que ela faz de melhor: planejamento. Quem sabe assim, a invejosa vai pra frente.
Compartilhe