Exploração da morte de Marcelo Rezende turbina audiência da Record

Geraldo Luis, em entrevista no velório de Marcelo Rezende
Sabemos que a Record só dispara no Ibope quando acontece uma desgraça ou quando um famoso morre. E dessa vez, com o falecimento do jornalista Marcelo Rezende, no último sábado (16), não foi diferente. Explorando o fato em programas de auditório e jornalísticos do fim de semana, a Record, que estava na pindaíba, fez reagir sua audiência, batendo até na Globo.

No sábado, exibido no momento em que a Record anunciava a morte do apresentador, o capítulo do sucesso "Pega Pega", da Globo, marcou sua pior audiência, com apenas 20,7 pontos na Grande São Paulo. Com a cobertura da morte, o "Jornal da Record" teve 14,2 pontos, mais que o triplo da média do noticiário nos quatro sábados anteriores (4,7).

Já no domingo, a edição especial do "Domingo Show", comandada por Reinaldo Gottino e com entradas ao vivo diretamente do velório de Rezende, foi líder durante toda a sua exibição, das 11h às 15h28. Com depoimentos de vários amigos famosos do falecido, o programa registrou média de 16,0 pontos, superando "Esporte Espetacular", a estreia de "Os Trapalhões" e grande parte do "Temperatura Máxima", que exibia o filme "Cinderella". Até o "Domingo Espetacular", que nas últimas semanas estava no limbo, cravou 15,1 de média. A revista eletrônica exibiu uma matéria deprimente de mais de 30 minutos em homenagem ao jornalista.

Porém, estamos cientes - e os bispos também, de que quando acabar o luto, a audiência da Record voltará pro brejo.
Tecnologia do Blogger.