Recentes

Tecnologia do Blogger.

Caso Zé Mayer: veja os detalhes do assédio sexual relatados pela figurinista

domingo, 2 de abril de 2017
Por: Redação, 02/04/2017, 16h44
Entenda o caso
Em texto publicado no jornal “Folha de S. Paulo”, na última sexta-feira (31), Susllen Meneguzzi Tonani, de 28 anos, afirmou que o intérprete do vilão Tião, de “A Lei do Amor” – trama das 21h da emissora carioca –, tocou suas partes íntimas e a chamou de “vaca” na frente de outros funcionários.

Segundo a funcionária, o veterano teria começado a assedia-la há oito meses, quando a profissional entrou para o time de produção da novela. O artista teria iniciado as investidas elogiando a beleza da jovem. Depois, sem ter êxito na conquista, teria começado a insultá-la.

“Trabalhar de segunda a sábado com José Mayer era rotineiro. E com ele vinham seus ‘elogios’. Do ‘como você se veste bem’, logo eu estava ouvindo: ‘como a sua cintura é fina’, ‘fico olhando a sua bundinha e imaginando o seu peitinho’, ‘você nunca vai dar para mim?’”, relatou Su.

A mulher destacou também que ameaçou ir ao departamento de recursos humanos da Globo para denuncia-lo, mas o famoso não teria parado com as investidas.

Foi quando, em fevereiro deste ano, a garota revelou à imprensa que teve suas partes íntimas tocadas por Mayer.

“[...] Dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda da minha genitália [...] E disse que era um desejo antigo. Elas [as duas mulheres]? Elas, que poderia estar em meu lugar, não ficaram constrangidas. Chegaram até a rir de sua ‘piada’. [...] Me vi sozinha, desprotegida, encurralada, ridicularizada, inferiorizada [...] Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali”, declarou.

Tonani disse ainda que ficou calada por mais alguns dias, tentando fugir de José Mayer, porém, encontrou o ator no set de gravações e foi xingada por ele aos berros, na frente de mais 30 funcionários.

“[...] Ele no centro, sob os refletores, no cenário, câmeras apontadas para si, prestes a dizer seu texto de protagonista. Neste momento, sem medo, ameaçou me tocar novamente se eu continuasse a não falar com ele. E eu não silenciei. ‘Vaca’, ele gritou. Para quem quisesse ouvir.

Foi quando a figurinista resolveu fazer a denúncia contra o veterano. Como resposta, o canal teria dito que tomaria as providências cabíveis no caso.

“Chega. Procurei quem me colocou ali. Fui ao RH. Liguei para a ouvidoria. Fui ao departamento que cuida dos atores [...] A empresa reconheceu a gravidade do acontecimento e prometeu tomar as medidas necessárias. Me pergunto: quais medidas? Que lei fará justiça e irá reger a punição? Que me protegerá e como?”, indagou.

Pouco tempo depois que o texto de Su foi publicado, a "Folha de S. Paulo" retirou o conteúdo do ar.

Quando a bomba estourou...
Vale lembrar que José Mayer se pronunciou a respeito do caso na última sexta-feira (31) e negou tudo. “Respeito muito as mulheres, meus companheiros e o meu ambiente de trabalho e peço a todos que não misturem ficção com realidade", afirmou ao jornal "Folha de S. Paulo".

E destacou: "As palavras e atitudes que me atribuíram são próprias do machismo e da misoginia do personagem Tião Bezerra [seu papel em 'A Lei do Amor'], não são minhas!".

O artista também garantiu que sua trajetória na dramaturgia é marcada por uma postura bastante profissional. "Nesses 49 anos trabalhando como ator sempre busquei e encontrei respeito e confiança em todos que trabalham comigo”, assegurou.

Recomendamos para você