Recentes

Tecnologia do Blogger.

Só mesmo criança para suportar "Carinha de Anjo"

terça-feira, 22 de novembro de 2016
Por: Guilherme Diniz, 22/11/2016, 00h38
Lorena Queiroz (Dulce Maria), em cena do capítulo de estreia de "Carinha de Anjo"
Estreou nesta segunda-feira (21) a nova novela do SBT, "Carinha de Anjo". Um desperdício chamar aquilo de novela, tudo menos novela. Que sofrimento acompanhar o capítulo de estreia!

Sinceramente, só mesmo criança para suportar. Um adulto, dependendo de sua idade mental regular, jamais trocaria uma programação adulta para assistir novelinha infantil do SBT. O efeito é retardatário.

"Carinha de Anjo" é mais um remake produzido pela emissora de Silvio Santos, mirando na obra da Televisa, exibida pelo canal em 2001. As originais já não prestam e o SBT se dá ao trabalho de piorá-las produzindo novas versões.

Desde "Carrossel", o SBT tem se sustentado eficazmente explorando o público infantil e ainda não aprendeu como se faz uma simples novelinha que preste. Como crianças não são exigentes no quesito qualidade, pouco importa para o canal aprimorar a arte. Por isso repito, "Carinha de Anjo" não desce para um adulto "normal". Extremamente infantil e mal produzida.

Elogiar o quê? Nada! Assim como as antecessoras do gênero infanto-juvenil, a produção é de qualidade duvidosa. Lembra as próprias novelas mexicanas, de cenários feitos de papelão. A cenografia, tão falsa, é facilmente notada. A fotografia é vagabunda, de quinta. Salva-se o colorido, como pede um produto do tipo.

Maior parte do elenco é terrível. Destaque negativo para Carlo Porto (Gustavo Lários), um Carlos Daniel la "Usurpadora". Ele fazia novela na Record? Que cena podre foi aquela quando o moço conhece a noviça?

Lucero (Teresa Rezende), em participação especial, só serve para arreganhar os dentes. Ela é meio estrábica?

A personagem monocromática de peruca é ridícula. Eu sei, faz parte da versão mexicana, mas não deixa de ser ridícula. De novo uma empregada afetada? 

Lorena Queiroz, a doce Dulce Maria, é tão, mas tão fofa, que irrita. Um exagero o texto que a menina é obrigada a decorar. Custa acreditar que uma criança de 5 anos converse, gesticule e sorri com tanta artificialidade. Antes, um embrião no lugar.

Juro para o leitor, troquei de canal umas três ou quatro vezes em determinadas cenas da Dulce, senão poderia sujar meu sofá. Quase vomitei ao ver tanta fofura forçada. Sacanagem o Cirilo dando uma de cantor sertanejo.

Mais infantil do que nunca, em comparação com as outras, "Carinha de Anjo" pode se tornar um novo sucesso de público e cifrão para o SBT. Uns dois anos no ar? Lógico! As crianças vão adorar. Só elas para suportar. Vi a estreia para nunca mais. 

Recomendamos para você