4 programas bons que não merecem as emissoras que tem

Por: Redação, 23/11/2016, 13h48
TV aberta por aqui nunca foi sinal de qualidade. Contudo, o telespectador, ao zapear canais, encontra, por incrível que pareça, programas níveis na programação de emissoras tão ruins. "Nossa! Um programa desse não merece o canal que tem!", quem nunca?

Band, SBT, Record e RedeTV!, sem dúvidas, são as piores, o esgoto da TV brasileira. Mas, nesta vala encontra-se verdadeiras preciosidades.

E a Globo? Salvamos a Globo desta lista por ser a melhor em diversos fatores, em comparação com a reba televisiva, quer o leitor admita, quer não.

A seguir, quatro programas da TV aberta, que, por serem tão bons, não merecem as emissoras que tem.

1. MasterChef (Band)
Quantas vezes reclamamos por aqui do desgaste que a Band promove ao lançar uma edição atrás da outra... mas pense bem, sem o "MasterChef", o que seria do canal? Ninguém lembrava, haja vista que sua programação é puro lixo. "A Liga" e o "Mundo Segundo os Brasileiros", quando tem, também são unanimidades.

A franquia da versão brasileira do reality show de culinária exibido pela Band em parceria com Eyeworks, consagrou-se como sucesso comercial, de público e crítica.

Apresentado por Ana Paula Padrão, os jurados e chefs Henrique Fogaça, Érick Jacquin e Paola Carosella caíram na graça do povão e hoje, com todo merecimento, o "MasterChef"  pode ser considerado o melhor programa do canal que vale a pena assistir e ficar acordado até tarde. Também, um dos melhores da televisão brasileira.

2. Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão (SBT)
A quarta temporada do "Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão", co-produção do SBT com a FremantleMedia e com apresentação da Chef-Diaba mais agradável que já apareceu nesta franquia, é gostoso demais de se ver. 

Tudo bem, o SBT exagera na sequência de realitys culinários, pelos menos esse, assim como o "Bake Off", é de qualidade.

Detalhe importante: a entrada de Danielle Dahoui deixou o reality no ponto. Excelente no comando da cozinha, melhor do que aquele pedaço-de-cavalo das temporadas passadas. A chef mostra que pode ser firme e exigente sem precisar partir para a grosseria.

Esta temporada do "Hell’s Kitchen" é nível se formos colocar no páreo com o resto, resto mesmo, da programação do SBT. 

3. Programa do Porchat (Record)
Desde que foi anunciado como contratado da Record, o público torceu o nariz para Fábio Porchat. O Detona TV também. A cisma era de como seria o talkshow do humorista, já que na TV aberta, pense num formato que anda desgastado é talkshow, não há mais o que fazer ou quem entrevistar.

Lutando contra faltas de ideias e opções, Porchat tem se rebolado e já merece um prêmio por ser o diferencial no canal dos bispos. E que diferencial!

O "Programa do Porchat", coprodução da Record com Eyeworks, pode não ser um dos melhores programas que há entre as cincos grandes emissoras, mas, sem dúvidas, é o melhor da grade da Record. Uma raridade. Julgamos que não há outra alternativa que se possa assistir na emissora dos bispos sem passar raiva com sensacionalismo e apelações. 

4. Mariana Godoy Entrevista (RedeTV!)
Quem era acostumado a ver Mariana Godoy toda certinha e recatada na Globo News se assusta com seu desempenho no comando de seu programa na RedeTV!. Linda, elegante, inteligente, descontraída e afiada. É assim que a jornalista finca sua marca no "Mariana Godoy Entrevista".

Mariana tem a combinação necessária para que seu programa seja destaque a ponto de se tornar a melhor opção do horário. Ela possui experiência em cobertura política, habilidade, conhecimento atualizado e recebe, na maioria das edições, convidados relevantes no ramo da política e economia.

Arriscamos em dizer que o "Mariana Godoy Entrevista" se firma como o melhor programa do gênero na TV aberta. Assistindo o talkshow, o telespectador até esquece que está sintonizado no aterro da RedeTV!. 

Leia mais

Tecnologia do Blogger.