Como levar a sério uma emissora que, levianamente, usa bispos para atacar rival?

Por: Luan Costa e Silva, 25/11/2016, 13h30
Todo mundo está crente e cansado de saber que a Record é ligada a Igreja Universal do Reino de Deus, ambas de propriedade do bispo Edir Macedo e ainda nos surpreendemos com a cara de pau dos bispos quando partem pro ataque contra sua maior inimiga, Globo. 

Mesmo que estes ataques não sejam mais frequentes nos programas de inteira responsabilidade do canal, o alto comando da Record os permite durante a madrugada, num programa de "terceiros", naquele lixo religioso e diabólico, o "Fala Que Eu Te Escuto".

Após atacar a Globo e imprensa, quando o bispo Marcelo Crivella venceu a eleição para prefeito do Rio, no início deste mês, novamente, a emissora líder voltou a ser alvo dos bispos.

O "Fala Que Eu Te Escuto" se aproveitou de uma polêmica recente para bombardear a rival. Na madrugada desta sexta-feira (25), o programa religioso tocou em “Salvar um traficante em estado grave ou um policial levemente ferido?: A enquete da Globo foi equivocada ou tendenciosa?”.

A referida pesquisa foi realizada no matinal "Encontro com Fátima Bernardes" na semana passada, baseada num filme em cartaz. Alguns dias depois, o político Jair Bolsonaro, ignorante que só ele, atacou Fátima ao dizer, através de um vídeo, que a apresentadora favoreceu bandidos. Agora, depois da questão ser resolvida e explicada ao vivo pela própria Fátima, vem os bispos tirar uma lasquinha.

"Tendenciosa"? Quem é IURD para julgar a Globo? Se uma enquete é tendenciosa aos olhos dos bispos, o que se pode dizer de um programa inteiro dedicado a atacar uma emissora ou que defende explicitamente um político que é sobrinho de Edir Macedo e nome forte da Universal? Sobre o Crivella, inúmeras chamadas foram exibidas durante os intervalos da Record anunciando o ataque contra a Globo.

Ainda no programa desta sexta, o bispo e apresentador Márcio Carotti, exalando cinismo, chegou a ler comentários de internautas, odiadores da Globo e simpatizantes da seita e Record, xingando a emissora dos Marinhos. Tem necessidade disso?

Por que a Record ainda permite que ataques do tipo continuem a manchar a imagem da empresa? É como disse um comentário lido acidentalmente pelo Carotti durante o programa: "fica fazendo essas matérias bobas e se queimando”

Uma emissora que agora vende uma nova imagem no mercado e que quer se reinventar jamais deveria admitir tamanha baixaria na programação. Não tem como levar a sério e respeitar. Sempre à sombra, invejando e fazendo de tudo para, levianamente, diminuir a Poderosa. 

A Record, uma das cincos gigantes do país, pode barrar os ataques dos bispos? Como, se a própria é pau-mandada dos bispos? 
Tecnologia do Blogger.