10 piores programas da Record

Por: Redação, 13/11/2016, 20h18

Programas bons na Record são raridades. Se existe um produto assistível neste canal, está perdido numa grade de programação repleta de lixo televisivo.  A emissora comandada por bispos é conhecida por explorar o crime, a pobreza e polêmicas dos famosos. Nem a palavra de Deus escapa. 

A seguir, confira a seleção do Detona TV dos 10 piores programas de uma das piores emissoras da TV aberta do país:

1. Gugu
Difícil escolher o que é pior: assistir o Gugu, escrever sobre o Gugu, ler sobre o Gugu ou comentar sobre o Gugu! É um caso perdido da TV brasileira.

O pintinho amarelinho só consegue se manter na telinha à base de apelações e sensacionalismo barato. Certa vez, Gugu resolveu futucar até as covas. A cada ano se supera com suas pérolas da vergonha alheia. Se dependesse da audiência dos que tem bom gosto televisivo, esse aí morreria de fome.

2. Balanço Geral SP Tarde
O BG já foi bem pior quando o Geraldo Luís estava no comando. Com a entrada de Reinaldo Gottino, em 2014, se enganou quem achou que essa imundice melhoraria. O apresentador a cada dia aumenta o tom e velocidade da voz ao falar com o espectador. É como se o pessoal de casa fosse cachorro. É no grito que Gottino conduz a desinformação.

Não se sabe o que é realmente a atração. Um programa de fofocas, jornalismo? Não há uma identidade definida. O resultado dessa mistura é vergonhosa. Fofocas e desgraça é a combinação perfeita no horário de almoço da Record.

3. Fala que eu te escuto
Repleto de bispos duvidosos, o programa para crente que não dorme, da Record/IURD, discute temas da atualidade de forma irrelevante e religiosamente pobre.

O programa e seus apresentadores se tornaram alvo de brincadeiras do público com direito a garoto exibindo a bunda e gente metralhando a Record. Ao vivo, ao acionar a participação de um telespectador, os bispos correm o perigo de sofrerem deboche. Já apresentam assustados e preparados.

Os artistas da emissora comumente são usados pelo programa para influenciar o telespectador. Além da auto-propaganda da seita, "O Fala que eu te escuto" vive atacando a Globo.

4. Domingo Espetacular
A principal revista eletrônica da Record é do tipo programinha escroto. Criado em 2004 e inspirado no "Fantástico", da Globo, a atração é cansativa, porre e longa demais da conta. O DE torra a paciência do telespectador com quase 4 horas de jornalístico. Para comportar tal exagero, quase todas as matérias do "Domingo Espetacular" geralmente são gigantescas, sem rumo e de qualidade duvidosa.

Sobre os apresentadores, é notável a cara feia e mau humorada estampada em Paulo Henrique Amorim e Janine Borba. Além do cenário pobre e horroroso e conteúdo irrelevante (comida, bichos e fofocas), o "Domingo Espetacular" peca por ser engessado e hard.

5. Hora do Faro
Rodrigo Faro saiu da teledramaturgia da Globo para se afundar no padrão Record de fazer TV. Seu programa de auditório é uma colcha de retalhos de tudo o que a emissora já produziu. Com inúmeros quadros assistencialistas, Faro aposta no choro e emoção para segurar audiência.

O próprio apresentador é irritante. Gesticula demais, sua voz é chata e força a barra o tempo todo com gracinhas ridículas e cara de condolente. Um porre! O telespectador corre o risco de adquirir uma depressão assistindo esse lixo de programa.

6. Domingo Show 
Esse é outro programa que carrega a marca da emissora. Será que Geraldo Luís e sua equipe não se envergonham de produzir tamanha porcaria na TV? Com reportagens gigantescas, apelativas e sensacionalistas, o "Domingo Show" explora ao máximo a fragilidade humana e brasileira.

O programa serve como sala de espera para o Rodrigo Faro. Juntos entregam 8 horas de puro entulho. Olhando bem, os dois formam um único programa em que se reversa o apresentador após 4 horas.

7. Cidade Alerta
Não tem programa pior e mais lixo na TV do que esse. Marcelo Rezende envergonha o telejornalismo nacional com seu policialesco diário de quase quatro horas. Se acha o rei do jornalismo nacional e dono da verdade. O show dos horrores foca na criminalidade, desde casos irrelevantes a brutais. A qualquer momento pode vazar sangue do aparelho de TV.

A fim de dar conta do longo programa, Rezende narra as matérias antes e logo após sua exibição, sem falar das reprises vindas de outros jornalísticos da casa.  Ao vivo, repórteres recebem apelidos infantis e comumente são moralmente assediados pelo apresentador. Acompanhado por um bobo da corte sentado num trono, Rezende comenta, enrola, brinca e ataca a concorrência. Só falta sair bosta de sua boca. Sua dicção é péssima. Até um analfabeto ou gago se expressa melhor que ele.

Segundo Rezende, tal programa é da família brasileira. Só se for a do Diabo. Quem assiste o "Cidade Alerta" reage pelo menos de duas formas: banaliza a criminalidade ou se deprime com o excesso de desgraça na tela da Record.

8. Hoje em Dia
Se você acorda lá pelas 9h ou 10h da matina e quer começar o seu dia bem, evite ver o matinal da Record. Não basta desde cedo o jornalismo pesado do canal, a revista eletrônica é estuprada por notícias repetitivas, desatualizadas e de teor violento sob o comando de César Filho. Acredite, até matéria sangrenta produzida para o "Cidade Alerta", o "Hoje em Dia" faz questão de exibir.

O resto é pura balela, afinal, é o jornalismo que garante a audiência do programa. Se dependesse da carismática Ana Hickmann, da inteligência da Ticiane Pinheiro e da experiência da Renata Alves, tudo estaria perdido. O mais decepcionante é o César Filho, mais duro que a Ana. Esse homem tem que ser mandado para um telejornal. Na verdade, o HED é um telejornal sem bancada.

9. Programa da Sabrina 
Quem vê isso aí deve ser um tarado pelas coxas da Sabrina ou não ter noção do que é ridículo. Apesar da simpatia, não tem como perdoá-la na função de apresentadora. A japa não tem envergadura, é refém de um roteiro, dura, sem interação espontânea, a dicção é tenebrosa... isso tudo depois de uns dois anos no comando do programa.

Sua atração é um retalho de tudo o que é feito na Record. Vídeos da internet, joguinhos para retardado, histórias de superação, auxílio de comediantes fracos e convidados requentados e azedos que batem ponto o ano todo nos programas da casa.

Nada sobre o nada é a definição exata do "Programa da Sabrina". A direção e edição do programa é péssima. Incrível é como conseguiu se consolidar na vice-liderança no horário. Resultado alcançado depois de muita oração e descarrego dos bispos.

10. A Terra Prometida 
Outro lixo de novela bíblica produzida pela Record. Logo no começo, o folhetim parecia que seria o diferencial entre as produções do gênero da emissora. Porém, ficou só na promessa. A trama caiu na mesmice das paqueras e cresceu a barriga.

O purgante “A Terra Prometida” é mais uma de um filão que a Record não se cansa de explorar, com o risco de cansar o seu público. Esta imundice de novela blasfema contra o livro sagrado, peca por fugir do contexto original e, para piorar, autor, direção e elenco, de tão ruins, merecem a destruição eterna.


Confira os 10 piores programas do SBT

Leia mais

Tecnologia do Blogger.