5 acusações graves contra os "Trapalhões"

"Os Trapalhões" 
A Globo prepara 13 episódios da nova versão de "Os Trapalhões" para 2017. Preocupada, a emissora quer evitar ao máximo piadas do humorístico original, que hoje facilmente seriam consideradas preconceituosas pelo público.

O texto do revival está sob os cuidados de Mauro Wilson e Péricles Barros, que contará ainda com supervisão de Renato Aragão.

Piadas simples e politicamente incorretas, em uma época de ingenuidade e que pouca gente contestava ou tinha meios para tal ação, foram um dos responsáveis pelo grande sucesso do programa que tinha o quarteto formado por Didi (Renato Aragão), Dedé (Santana), Zacarias (Mauro Faccio Gonçalves) e Mussum (Antônio Carlos Bernardes Gomes),

Já pensou se "Os Trapalhões" fosse gravado nos dias de hoje? Certamente, o programa, o elenco e a Globo seriam massacrados pela patrulha do politicamente correto e organizações em prol disso e daquilo. 

Veja a seguir algumas acusações que a trupe do Didi sofreria por conta de suas piadas:

1. Racismo
Hoje, chamar um negro de macaco, crioulo, negão, urubu e frango de macumba daria o maior problemão. Ao contrário daquela época, piadas do tipo são consideradas grave ofensa e crime. As ONGs e sociedade no geral não perdoariam.

2. Alcoolismo
"Os Trapalhões" viam o alcoolismo de Mussum como algo engraçado e até positivo. Nos dias de hoje, as biritas iriam totalmente contra a política do consumo consciente de bebidas alcoólicas.

3. Preconceito contra nordestino
Nas esquetes dos "Trapalhões", se Didi chamava Mussum de crioulo, Mussum chamava de Didi de cabeça chata, cabeça de passar roupa. Até mesmo se referia ao amigo cearense como nordestino de forma pejorativa. Se alguém faz isso nos dias de hoje, principalmente nas redes sociais, sobra.

4. Machismo e sexismo
Durante os 30 anos que esteve no ar, raras vezes "Os Trapalhões" receberam uma mulher em suas esquetes sem que ela fosse colocada como objeto de desejo sexual, ainda mais quando era bonitona. Em época de altos índices de estupros e violência contra a mulher, tais piadas não seriam vistas com bons olhos.

5. Homofobia
Ser gay nos "Trapalhões" era visto como algo ruim. Dedé, sempre alvo de suspeita por parte dos amigos, chegou até a apanhar de Didi, Zacarias e Mussum quando eles achavam que o rapaz estava confessando sua homossexualidade ao telefone. Hoje em dia, os movimentos em prol dos direitos LGBTs cairiam de pau em cima do programa.

Veja também
10 piores programas da Record
Tecnologia do Blogger.