O que diabos a Record está fazendo nas Olimpíadas?

Por: Guiga Bates, 04/08/2016
Time de jornalistas da Globo na cobertura das Olimpíadas 
Respondo de primeira! Nada que a faça ser lembrada. Só passando vergonha. Se não fosse pela grana entrando pelo rabo dos bispos e pose, de nada valeria. O que a Record tem feito para entregar uma cobertura Olímpica digna de emissora oficial? Pouca coisa.

Combinemos que o público da Record não deve ser fã de esporte, até porque a emissora nunca foi referência no ramo esportivo. O fato é constatado pelas primeiras transmissões dos jogos nesta semana. Levou pau da Band e até da RedeTV!. Por outro lado, ponha uma desgraça na tela do Edir que a audiência dispara.

Mas, por que uma emissora tão pebinha como a Band consegue golear uma outra de grande porte? Tradição! É o que a Record não tem. Adianta sair por aí se gabando que adquiriu direitos de exclusividade disso e daquilo na base do esporádico?

Ao escutar o termo "esporte na TV aberta", você associa a Record? Claro que não! De cara, a pessoa logo lembra da Globo e Band.

Fora as míseras Olimpíadas, Jogos de Inverno e Pan, o que a Record normalmente oferece na grade quando o assunto é esporte? Nada. Pera, tem sim! O "Esporte Fantástico", noticiando fofocas de jogadores e emocionando seu público com histórias de superação.

Os bispos nem sequer tentam investir ou adquirir direitos de alguma modalidade, de um campeonato de futebol, seja lá Série B ou C, começando por baixo, como a RedeTV! que aos poucos vai ganhando espaço no ramo esportivo. Porém, a Record é daquele tipo de pobre metido a besta. Só se for a Série A e sozinha no pedaço, pra poder pisar na Globo.

Nesta quinta-feira (04) lá vai minha pessoa apreciar a transmissão do jogo entre Brasil e África do Sul, em Brasília, na tela da Record, com narração de Lucas Pereira. Pô! Quem é Lucas Pereira? Que transmissão xôxa!

Não aguentei. Estava agoniado. "Quero ir para Globo, quero ouvir a voz do Galvão. Não importa se ele fala demais".

Fui para Globo. Encontro o quê? Um time de comentaristas armados, um belo de um estúdio aconchegante, luxuoso e repleto de estrelas globais, da música e do esporte batendo o maior papo no show do intervalo. Me sentir lá dentro. Pensei: "Vou ficar por aqui que tá mais gostoso". 

A Record inventou um estúdio em chroma key.
RedeTV! emocionada!
Alienação? Não, caro leitor. Questão de tradição. Desde que me entendo por gente, acostumei-me com o esporte na Globo. E outra: fazer que diabos sintonizado na Record, se na Líder a transmissão e cobertura está mil vezes melhor?

Somando décadas de tradição e muito investimento, a Globo se preparou para uma mega, creio que a maior cobertura já vista nas Olimpíadas. O leitor pode até odiar a emissora dos Marinhos, mas há de reconhecer que a danada espanca!

E a Record?

A resposta se encontra nas singelas palavras, dignas de pena, da jornalista Adriana Araújo que está cobrindo as Olimpíadas no meio do calcadão no Parque Olímpico do Rio.

A âncora do principal telejornal da Record postou numa rede social uma foto com os dizeres: "Eu, os aros e meu 'banquinho'". Certamente, tadinha, deslumbrando o mega cafofo e aparato dos globais próximo dali. Veja:

Aproveite e curta nossa fanpage no Facebook

Uma foto publicada por Adriana Araujo (@adrianaaraujo_) em
Tecnologia do Blogger.