Tá desempregado e fora da TV? Só resta fazer novela bíblica

Por: Guiga Bates, 15/07/2016
Acã (Kadu Moliterno) na novela "A Terra Prometida", em primeiro trabalho fora da Globo desde década de 70
É tendência e não há como negar. Nestes tempos de crise, em que as emissoras de TV, principalmente a Globo, estão passando o rodo nos custos, estabelecendo contratos por obra, muito atores estão indo parar nas estatísticas do desemprego no meio televisivo.

São poucos os que conseguem firmar contrato a longo prazo com a Poderosa. Os dispensados ou ansiosos por um novo trabalho na fila de espera tem que dar seu pulos, afinal é "preciso pagar as contas", como disse o ex-global Kadu Moliterno.

Após 35 anos de vínculo na base da renovação de contrato, Moliterno foi um dos afetados pela nova política da Globo. Assim como ele, Nívea Stelmann, Cristiana Oliveira, Igor Rickli, Leonardo Miggiorine e vários de seus colegas não viram outra saída a não ser partir para a Record. Fazer o quê? Novela bíblica. Eis outra tendência.

No caso do Kadu, pelo menos ele foi sincero nas declarações, a necessidade o fez ir para a emissora dos bispos. Diferente de Paloma Bernardi, ex-global, também contratada pela Record, quando deu a seguinte desculpa: "Li a sinopse e vi que a personagem é tão rica que não tive outra saída a não ser aceitar”. Mesmo? A atual personagem dela não é isso tudo, não!

Nada contra um papel bíblico, o problema é quando o profissional se torna um ator bíblico. Entende? Quantos atores contratados na Record, vira e mexe repetem papéis do mesmo gênero? Limita a arte do indivíduo que é apaixonado por sua profissão.

Denise Del Vecchio é um exemplo clássico. Desde 2013, com exceção do fracasso "Pecado Mortal", tem aceitado somente papéis bíblicos. Milhem Cortaz é outro convertido. No caso dele é pior. Na mesma saga de "Os Dez Mandamentos", ele apareceu com dois personagens diferentes. 

Até novelistas tem se rendido à moda bíblica. A autora Cristianne Fridman, que havia saído da Record, após o fim do seu contrato em 2015, acaba de voltar para a emissora. Escrever o quê? De acordo com o colunista Flávio Ricco, ela voltará como colaboradora, juntamente com Paula Richard, para a nova novela bíblica da emissora, “O Rico e Lázaro”, substituta de “A Terra Prometida”.

Fridman é aclamada por seus trabalhos contemporâneos e característicos como “Chama da Vida” e “Vidas em Jogo”. E se a mesma tiver outros projetos fora do eixo religioso? Na Record certamente será engavetado, caso permaneça por lá a longo prazo.

O vício constante da Record em explorar a Bíblia, carimbando o curriculum do ator, tem levado muitos, que por um bom tempo permaneceram atuando em produções bíblicas no canal, a preferir não renovar e recusar trabalhos parecidos. Um bom número tem retornado à Globo.

Por outro lado, para quem deseja viver de teledramaturgia, a Record é segunda opção no mercado. Sua produções rendem inúmeras oportunidades de trabalho, não somente a atores conhecidos, mas aqueles que tentam começar a carreira. Além disso, outros profissionais do ramo se beneficiam das mesmas produções do canal em tempos de crise.
Tecnologia do Blogger.