Investimentos na grade indicam que o SBT parece ter despertado

Por: Guiga Bates, 15/07/2016
A TV que tem torcida
O SBT pode ter sua fama de mofo, preguiçosa e acomodada, mas não podemos deixar de citar que, ultimamente, o canal parece ter despertado.

Esta semana, a emissora estreou "A Garota da Moto" em parceria com produtoras, série mediana de suspense e ação direcionado ao público adulto. A direção também já trabalha em novos formatos de realitys, como o “Corre e Costura”, diferente do segmento culinário. Uma faixa noturna do sábado, ocupada pelo "Bake Off Brasil", também não deixa a desejar. Para às tardes, o canal prepara um novo programa vespertino, sinal de menos uma novela mexicana na grade e mais uma opção para o telespectador no meio da semana.

Sem contar com as recauchutadas no visual de alguns programas mais populares, como o do Raul Gil e "Domingo Legal". Uma ressalva: apesar de algumas mudanças aqui e ali, a qualidade das atrações continua sofrível. "Eliana" que o diga.

Até o "Primeiro Impacto", que não vale nada, deve ser levado em consideração. Nunca a emissora se preocupou em ocupar a grade com mais jornalismo. Enfiou mais um, pelo menos. Até o "SBT Brasil" hoje, enfim, conta com transmissão em HD.

São pequenas ações, que se tratando do SBT, devem ser consideradas enormes. Se não derem certo, não deu. Pior se não tivesse tentado. 

É sabido que o canal tem projetos no armário, mas que tudo é feito conforme a capacidade, de olho no caixa, mercado e audiência. A programação do SBT é péssima? Muito! Precisa de ajustes, alcançar novos públicos e explorar outros nichos. Um sonho, né?

Um fato: a cansativa briga por míseros décimos, que se arrasta por meses, contra a Record no PNT, não mais deve agradar os executivos do canal. Os investimentos supracitados é a clara reação e preocupação de que a vice-liderança não está garantida e que a torcida fiel não será capaz de segurar o rojão por muito tempo.

Atualizando 

O SBT desistiu do projeto de um novo programa vespertino para ocupar sua grade. Segundo informações do colunista Flávio Ricco, os executivos da emissora avaliaram o formato, mas acabaram engavetando.

E fui achar de elogiar o "mofo". Quase mandei apagar este texto. Oh decepção!
Tecnologia do Blogger.