"Escrava Mãe" apela para a guerra de torta + Drops

Por: Guiga Bates, 23/07/2016, 13h42
Urraca (Jussara Freire) e Rosalinda (Luiza Tomé)
A novela "Escrava Mãe", da Record, apostou numa tradicional sequência das novelas do autor Walcyr Carrasco.

No capítulo desta sexta-feira (22), Urraca (Jussara Freire) e Rosalinda (Luiza Tomé) protagonizaram uma guerra de torta. Durante uma briga, Urraca pega uma fatia de torta e dá na cara de Rosalinda. A cafetina se vinga; ela pega a torta inteira e enfia na cara de Urraca.

Não que o Walcyr tenha criado ou patenteado a guerra de tortas. Humor pastelão é coisa antiga. Mas, quando se vê algo do tipo, logo vem na mente as famosas, eternizadas e engraçadas cenas das novelas do autor global. O público de "Escrava", de cara, certamente se lembrou de onde tinha visto algo parecido. Novela de época, personagens cômicos...

E vamos combinar
A trama de Gustavo Reiz abusa dos clichês. Nada original, batida e sem criatividade. Um caldeirão de inúmeras novelas de época.

No túnel do tempo
Uma das novelas mais lembradas da teledramaturgia nacional, "Guerra dos Sexos" (1983), ficou muito marcada por uma cena entre Paulo Autran e Fernanda Montenegro, na qual uma guerra de torta e outras comidas na cara tomaram conta de um café da manhã.

Tá chato
No clima dos Jogos Olímpicos do Rio, a Globo exibe desde o dia 11 de julho uma série de reportagens dedicada ao evento no “Jornal Nacional”.

A bem produzida série “Perfis”, no comando de Pedro Bassan, acompanha a rotina de atletas com grandes chances de medalha nas Olimpíadas, em busca de histórias e curiosidades. Série muito melosa, puxa-saco e poética demais da conta. Tenho paciência pra aquilo, não!

Sobre os Jogos
A Globo dedicará 160 horas de sua programação durante os 17 dias do evento, sendo 110 horas de transmissões ao vivo com câmeras exclusivas nos principais esportes. Cerca de 2 mil profissionais participarão da cobertura.

Impressionou
Quem passou o olho na edição do "Globo Repórter" desta sexta-feira apreciou o belíssimo trabalho do Felipe Santana. Junto com a equipe, o rapaz montou uma casa sobre rodas e desbravou a Islândia. O texto dinâmico do repórter e as incríveis imagens cinematográficas chamaram atenção.

Impressionou 2
Impossível não reparar no desempenho de Nathália Dill, em "Liberdade, Liberdade". Na pele da perversa Branca, a atriz provoca amor e ódio numa interpretação visceral. Até aqui, o melhor papel de sua carreira. Andréia Horta, a protagonista fraquinha, some quando tem que dividir cena com ela.

Ridículo
Virou modinha esse povinho que anda meio esquecido e fora da TV, espalhar nudes pelas redes sociais. Antigamente, quando alguém queria aparecer, era recomendado pendurar uma melancia no pescoço. Hoje, basta exibir metade do pinto e periquita que já tá valendo.

Ridículo 2
Como alguém consegue rir da série "Kenan & Kel"? O enlatado americano é exibido pelo SBT aos sábados, antes do Raul Gil. A porcaria é pior que o antigo "Zorra Total", da Globo. Além de ser ruim, é puro mofo, lixo da década de 90. Duplinha de retardados.
Tecnologia do Blogger.