Emissoras não estão a fim de divulgar dados do GfK

Por: Guiga Bates; colaboração: Vitor Nobre; 13/07/2016

O público louco por audiência da TV já deve está perdendo a esperança e paciência. O instituto alemão GfK, primeiro concorrente de peso do Ibope no mercado brasileiro de medição de audiência, até agora não teria divulgado os números.

Diante do mega atraso, boatos que a empresa culpou a péssima estrutura de telefonia do país e apontado o baixo nível educacional e preguiça do brasileiro painelista para manipular o aparelho instalado em sua casa.

Segundo Flávio Ferrari, diretor-geral da empresa no Brasil, o GfK deveria ter seus primeiros números divulgados neste mês de julho, mais de um ano após a promessa dos dados, anunciados para maio de 2015. Hoje é 13 e até agora nada. Um mistério.

De acordo com uma fonte, o instituto alemão autorizou a Record, SBT e RedeTV! a divulgarem os dados desde o dia 01/07, mas até agora, nada. Detalhe: as emissoras recebem os dados do GfK desde que o mesmo começou a operar no Brasil. Ou seja, gastaram US$ 100 milhões em cinco anos para um instituto privado.

Será que os dados não agradaram? Vale lembrar que o principal objetivo da contratação da alemã por partes das concorrentes da Globo era provar divergências nos números do Kantar Ibope.

Exemplos: a Record chega a ter uma audiência dois pontos abaixo no GfK. O capítulo de estreia de "A Terra Prometida" chegou a picos de 17, enquanto no Ibope bateu 19. Também, segundo o jornalista Flávio Ricco, "Haja Coração" chega a bater 4 pontos a mais no GFK.
Tecnologia do Blogger.