Após lixo jornalístico, programa de Meirelles salva noite da Record

Por: Guiga Bates, 01/07/2016
Edição do "Repórter Record Investigação" desta quinta (01) 
Já postei aqui no Detona TV que entre tantos, o "Repórter Record Investigação", é o único que considero a salvação do jornalismo da emissora dos bispos. O resto é resto. Um lixo, não vale nada.

Os jornalísticos que antecedem o programa de Domingo Meirelles nas noites de quinta-feira são ruins de doer e corroem de ódio qualquer telespectador que busca bom material do tipo na TV. 

Acredite, depois de um capítulo gigantesco de "Os Dez Mandamentos" (outro lixo), terminando absurdamente às 22h, a edição do "Jornal da Record"(30) teve a coragem e cara de pau de colar duas reportagens sobre a próxima novela bíblica do canal, "A Terra Prometida". O primeiro bloco inteirinho, com duração de 15 minutos, dedicado somente a novela. 

Logo após esta aberração, que além de noticiar as baboseiras do canal, foca em crimes locais, entra outra viadagem jornalística, o "Câmera Record". Esse sim, é o fim. Tema da noite: "Como é ser irmão de um famoso?" Chega a ser cômico. Abordaram a briga de Ivete Sangalo com seu irmão e ainda teve parentela do jogador Cristiano Ronaldo e dos cantores Alexandre Pires e Lucas Lucco. Uma fofocaria desgraçada. Me pergunto como Marcos Hummel se sente apresentando este desserviço e jornalismo de quinta.

Quase desistindo de tanta bosta em sequência, entra Meirelles para salvar a noite do canal e mostrar seu diferencial. A edição do "Repórter Record Investigação" tratou seriamente da doença Microcefalia. Assistível, informativo e válido. Um documento. Um alívio. Aprende, Record!

Enquanto o programa de Meirelles acumula prêmios e mais prêmios por excelentes trabalhos no ramo, o resto da Record não leva nada. Leva, fama de lixo.
Tecnologia do Blogger.