Zileide Silva é agredida por manifestantes

Por: Redação, 12/05/2016

Segundo o portal UOL, jornalistas foram agredidos por manifestantes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) logo após o pronunciamento dela no Palácio do Planalto.

A repórter Zileide Silva e a produtora Roniara de Castilhos, da Globo, foram agredidas ao tentarem acompanhar a presidente que foi em direção aos militantes em frente ao Palácio do Planalto. O repórter Daniel Carvalho, do jornal O Estado de S. Paulo também sofreu as mesmas agressões.

Os profissionais foram orientados a seguir para uma área onde havia grande concentração de militantes e acabaram sendo agredidos com chutes e xingamentos. Lamentável.

Em tempo:

Na noite da quarta-feira (11), a repórter Paula Froes, da revista AzMina, foi atacada por um policial militar quando cobria a repressão a um protesto a favor de Dilma Rousseff. Ela flagrou em fotografia o momento em que o spray de pimenta era disparado em sua direção.

Já na manhã de quinta-feira (12), o repórter Marcelo Cosme, da Globo News, foi hostilizado por militantes quando acompanhava Dilma Rousseff no trajeto entre o palácio e o local onde falaria ao público. Embora o cinegrafista Wesley Araruna tenha tropeçado e caído, Cosme considerou a situação "normal" para uma cobertura tumultuada.

Momentos depois, enquanto entrevistava Jacques Wagner, a hostilidade recomeçou e ganhou força. Encurralados entre uma grade e um espelho d´água e temendo que a escalada verbal se transformasse em agressão física, repórter e cinegrafista conseguiram passar à área reservada a Dilma após alguma negociação com a segurança. Os manifestantes tomaram o microfone de Cosme e também um dos cabos que Araruna carregava. O microfone foi encontrado depois.

Veja também:
Jornalistas são agredidos em ato contra impeachment em Vitória
Assista ao último e temido "Plantão da Globo"
Tecnologia do Blogger.