O queijo podre serviu para alguma coisa útil

Por: Guiga Bates, 21/04/2016
“vocês não tem compaixão, porque não libera pílula de câncer?, bando ladrão”, disse Ratinho.
O "Programa do Ratinho", queijo podre da TV Brasileira, nada contra a pessoa do apresentador, mas contra a baixaria apresentada de segunda a sexta em seu programa, serviu para alguma coisa útil.

Depois que o Ratinho explorou (com direito a choro) a Pílula do Câncer em seu programa por umas três edições sequenciais, o assunto chamou atenção de público, dos portadores da doença e principalmente dos governantes, estes últimos fizeram questão de acelerar o assunto em Brasília.

Apesar de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ver com preocupação a liberação sem garantia de eficácia e segurança, a presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou a lei que autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com tumores malignos.

A lei sancionada pela presidente foi aprovada pelo Senado no dia 22 de março, em votação simbólica. Como não houve alterações ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados, o projeto seguiu para a sanção presidencial.

A sanção da lei número 13.269, de 13 de abril de 2016, foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (14). O artigo 1º destaca que "esta Lei autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com neoplasia maligna".

O artigo 2º ressalta, porém, que só "poderão fazer uso da fosfoetanolamina sintética, por livre escolha", os pacientes que apresentarem "laudo médico que comprove o diagnóstico" e "assinatura de termo de consentimento e responsabilidade pelo paciente ou seu representante legal".

Aproveitando-se da notícia, Ratinho deixou para esta quarta (20), dia de embate com o Gugu, uma entrevista "exclusiva" com o pesquisador e responsável pelo medicamento, Gilberto Chierice, hoje aposentado. "Ele só aceitou dar entrevista para o nosso programa", disse Ratinho. Desta vez, não foi nada demorado, visto que Zezé de Camargo & Luciano estavam na espera para entrar ao vivo na briga por audiência.

O apresentador vangloriou-se por seu programa ter contribuído de alguma forma para a rapidez dos trâmites da lei que autorizou a pílula.

Bom, além dos pontos no Ibope, se era para fazer um bem coletivo aos doentes que sofrem desta maldita doença, valeu a pena explorar um tiquinho, né? Parabéns Ratinho! 

Tecnologia do Blogger.