Geraldo Luís também não é flor que se cheire

Por: Guiga Bates, 29/04/2016
Geraldo Luís durante o Domingo Show do dia 17, quando reclamou da Record
O assunto mais comentado esta semana, sem dúvidas, foi o bafafá envolvendo a saída do Geraldo Luís do dominical "Domingo Show", seu congelamento na Record e possível rescisão de contrato.

Além dos bispos executivos serem linha dura, Geraldo também não é flor que se cheire. Fuçando o histórico do apresentador, prova-se que ele pode sim ter contribuído e muito para a decisão final da Record.

Segue a lista sobre a passagem problemática do Geraldo na emissora:

- Lembra do "Geraldo Brasil" (2009)? Boatos que ele perdeu o vespertino por brigas com o diretor Vildomar Batista, cinco meses depois saiu do ar.

- Em novembro de 2014, revelou salários de colegas em entrevista gravada e exibida no "Pânico".

- Em março de 2015, brigou com Virgílio diretor do "Domingo Show" e gritou, na presença da platéia, que o programa era "seu".

- Se recusou a chamar comerciais quando a direção recomendava.

- Em dezembro de 2015, descumpriu regra de cumprimentar Faro no fim do "Domingo Show" e deixou o Rodrigo falando sozinho. Foi suspenso.

- Neste último episódio, Geraldo teve apenas uma matéria cortada, já o Rodrigo Faro sequer entrou no ar e o "Domingo Espetacular" foi exibido após 23h.

- Este pequeno corte serviu para a cobertura de um momento histórico da política brasileira: o início do processo de impeachment da presidente Dilma.

Comprovadamente, Geraldo acumulou ataques de estrelismo na Record. E olhe que não sabemos do tudo o que realmente acontecia nos bastidores. Sua última reclamação foi o fim da picada! Se lascou!



Veja também:
A Record se apressa para deixar Bacci com cara de simpático
Tecnologia do Blogger.