Depois do “BBB”, para tentar ficar na mídia, o que resta fazer? Somente ir pra RedeTV!

Por: Márcio Andrade, 27/04/2016
Após sua participação no BBB, Íris Stefanelli passou a integrar a equipe de apresentadores da RedeTV! em  2007

Alguma das coisas mais exóticas que existe no meio televisivo brasileiro, é certo digamos, “vício”, que a RedeTV! tem em sub-celebridades. Ela parece aqueles viciados no crack que, devido à abstinência da droga, ficam doidos para fumarem uma pedrinha. No momento em que começa a praga do “Big Brother Brasil”, um programa de “alta qualidade” da televisão brasileira, a emissora de Osasco, não sendo a “TV Power Rangers”, que adora mofar, popularmente conhecida como SBT, deve ir à loucura.

Quando acaba então, aí que a mesma chega ao seu ápice. Durante o período de confinamento do projeto global, o qual, idiotas úteis sem nenhum talento para o mundo artístico se submetem ao enjaulamento feito animais, a RedeTV! junta toda a sua economia oriunda tanto do arrendamento de horários para os pastores quanto de publicidades da farmácia do homem… da farmácia, com o intuito de, no término do “BBB”, após ainda, se não me engano, 3 meses restantes de contrato que os seus participantes possuem com a Globo, ela ir às compras, ou seja: contratar “grandes artistas”. Imaginem só como talvez seja qualquer entrevista de trabalho na RedeTV!. Segue o roteiro abaixo.

Certa mulher entra numa sala de entrevistas, a fim de ser entrevistada, em busca de um emprego na RedeTV!.

– Bom dia. Eu vim concorrer à vaga de apresentadora aqui na emissora.
– Ah, sim. Bom dia. Qual é o seu nome?
– Meu nome é Rochelle Rock.
– Prazer, Rochelle! Meu nome é Alan Harper…
– Igualmente.
– Você trouxe o seu currículo?

Ela pega o currículo dentro da pasta e entrega-o ao recrutador.

– Sim. Aqui está.
– Obrigado.

Ele começa a lê-lo atenciosamente, termina, fica impressionado, e diz:

– Olha… Eu gostei bastante dele. Você é formada em jornalismo. Trabalhou em grandes emissoras deste país, tais como a Rede Record, Rede Globo… fez estágio no exterior na Fox News; não nesta ordem cronológica, é claro! Más…!
– O quê?…
– Entretanto, desculpe-me pela minha extrema sinceridade, mas você não está no nível de qualificação desta empresa. A rede de TV que mais cresce no Brasil, não contrata qualquer uma…
– OK. Mesmo assim, obrigada pela oportunidade de ser, no mínimo, entrevistada!
– A seu dispor…

Rochelle fica triste e cabisbaixa, sai da sala de entrevistas, vendo que deixara passar a melhor oportunidade de sua vida, que é trabalhar na RedeTV!.

No entanto, posteriormente ela volta indignada e entra na sala novamente batendo a porta.

– Quer saber? Eu não preciso disso. O meu marido tem dois empregos!

Um dia depois, no mesmo horário e local, outra mulher, a saber: uma sub-celebridade, adentra à sala de entrevistas, com o objetivo de ser igualmente entrevistada, em busca da vaga de apresentadora.

– Com licença. E boa tarde.
– É de manhã.

Ela, envergonhada da gafe que cometera, tenta corrigir o erro e piora-o mais ainda.

– Verdade. Nem me lembrava. É que eu não tenho o costume de levantar cedo e só acordo depois de meio-dia. Por isso que eu disse boa t… Opa! Quero dizer…
– Deixa pra lá. Qual é o seu nome?
– Me chamo Florinda… Florinda Corcuera y Vidialpango viúva de Matalascayano.
– Prazer. Meu nome é Alan Harper. Você trouxe o seu currículo, Florinda?
– O prazer é meu. Currículo… O que é isso?

O recrutador, indignado com aquela situação, decide por fim à entrevista.

– Bem… Negócio é o seguinte. Depois a gente te liga, certo?

Ele fala em voz baixa.

– Não dá para entrevistar uma mulher que não sabe nem o que é um currículo, quanto mais contratar.
– Vocês me ligam mesmo, né?!
– Com certeza. Fique tranquila.

De novo em voz baixa.

– E vai esperando…
– Ah, esqueci de dizer…
– O quê?
– Eu sou ex-BBB.
– Por quê não falou antes? Está contratada!

Ela olha para a câmera e diz:

– Essa arma nunca falha. Currículo pra quê? Ser ex alguma coisa, já é meio caminho andado na RedeTV!. No meu caso, o caminho completo.

De volta ao escriba deste post, eu não sou nenhum redator. E, muito menos, sei o que se passa na seleção de novos contratados dessa emissora, pois não trabalho lá. Todavia, visto o seu histórico de contratações, o roteiro acima, se é que posso chamá-lo assim, não está longe da realidade dela, infelizmente. Mudam-se as personagens, porém, o enredo continua igual, enquanto o talento na televisão continuar sendo sucumbido por coisas irrelevantes, a títulos de exemplo: rostinho bonito, “pistolão” – sem duplo sentido –, e seus derivados, como QI: Quem Indica e nepotismo… Enfim. É o jogo de interesse se sobrepondo à racionalidade.

PS: Qualquer semelhança dos nomes acima com os de personagens famosos, não é mera coincidência.
Tecnologia do Blogger.