Como anda o nível do jornalismo local das afiliadas da Globo?

Por: Guiga Bates, 22/04/2016
Apresentadores do "BA Meio Dia" Salvador, da TV Bahia
Sobre a pergunta do título, respondo logo! Aqui na Bahia o nível do jornalismo da afiliada está uma derrota! Tem que ter muita paciência e perseverança para acompanhar os telejornais locais.

A TV Bahia, uma das emissoras pertencentes a Rede Bahia, que por sua vez é afiliada a Globo, anda desesperada com o avanço do jornalismo popularesco da Record Bahia. Os jornalísticos da concorrente não dão descanso, apelam para Deus e Orixás afim de alcançar a liderança. E alcançam com frequência. Nesta guerra, a TV Bahia tem transformado seus telejornais em pura prestação de serviço à população. Só digo que não está bom.

Todo santo dia que Deus dá, nos três telejornais diários, o telespectador baiano é obrigado a se informar sobre tríplice epidemia (Dengue, Zika e Febre Chikungunya), H1N1 ou outra doença em evidência. Um "Bem Estar" da Bahia. Um porre! Notícias padrões e relevantes quase não se vê.

Pior é o quadro "Desaparecidos" toda quarta-feira no "BA Meio Dia". Semana passada focaram num idoso que sonhava em encontrar seu antigo amor após 40 anos. Me deixe, viu? Fora que toda semana, um cantor ou banda popular do Estado aparece tocando arrocha, forró ou pagode para divulgar shows e novos trabalhos. Os apresentadores ainda não começaram a dançar, graças a Deus! Hoje (22), este mesmo telejornal, exibirá uma reportagem especial sobre o perigo de passear de bicicleta na capital baiana. Pelo amor de Deus!

Ainda bem que pararam de enviar um repórter para medir o tamanho dos buracos nas ruas de Salvador. Mas assim, é só ter um esgoto a céu aberto, um cano estourado ou sinal de alagamento, que a equipe do jornalismo local estará por lá.

No sábado, a situação piora. Culinária e outras babaquices, nada que preste. Às vezes, naturalmente, queremos saber quem morreu, que banco explodiram, quem foi preso... e não se encontra com facilidade tais informações no jornalismo da TV Bahia. Se na matriz o nível é decadente, imagine como anda as outras cinco emissoras menores pertencentes ao grupo espalhadas pelo interior do Estado!

Até o "Globo Esporte" local virou uma tolice. Um dos apresentadores do programa achou de ir semanalmente para um bairro popular da capital baiana com o quadro "O Boteco do Renan". Bate papo, cachaça e música no meio do rua com alguma personalidade do esporte local. A salvação vem das matérias enviadas pelo jornalismo esportivo da Globo.

E no seu Estado ou região, como anda a qualidade do jornalismo das afiliadas da Globo?
Tecnologia do Blogger.