Você cai na propaganda da Universal?

Por: Guilherme Diniz, 27/03/2016
Se assistir a Record durante o dia é torturante, ter que suportar propaganda da Igreja Universal do Reino de Deus é pedir para ser logo arrebatado. Ainda tem o herdeiro casal perfeito e orações de bispo no horário de almoço. 

A emissora abusa ao veicular exaustivamente vídeos da campanha "Eu sou a Universal". Já presenciei dois vídeos em apenas um só intervalo. Defino como uma espécie de lavagem cerebral para atrair novos dizimistas, que por sua vez sustentarão o império de Edir Macedo, líder espiritual da igreja e proprietário da Record. Propaganda surte efeito, se não rendesse, as empresas não investiriam pesado.

Os depoimentos mostrados nos vídeos seguem o mesmo padrão. Pessoas aparentemente bem sucedidas na vida familiar e financeira, com até mais de um emprego ou carreira, que adoram bichos e natureza, e a maior ligação de todas, são fieis da Universal. 

Quem vê, um incauto, desiludido ou desgraçado na vida, se impressiona de primeira com a promessa de melhora de vida a partir do momento em que começar a frequentar os cultos. Em nenhum momento nos vídeos, é feito o pedido direto para o telespectador botar os pés na igreja, mas a mensagem induz e seduz. Maior pecado: não se fala em Deus.

Circula-se boatos que tudo não passa de uma armação e que tais fieis que aparecem na campanha são atores selecionados. Há quem diga que o cachê seja de R$300,00 e que 30% do valor é repassado para a agência que faz o recrutamento dos atores. A exigência principal seria ter um rosto desconhecido.

Farsa ou não, a Record/IURD usa de má fé e hipocrisia com tal propaganda contraditória a nível religioso. Por que contraditório? Sem querer dar sermão, impossível não tocar no assunto, mas, quem lê e acredita nas Escrituras Sagradas, sabe muito bem, principalmente lá nos Evangélicos, que o próprio Jesus condenou fortemente o materialismo. Ele ensinou que a felicidade não vem das coisas que a pessoa possui. Ué? Mas o Edir não prega que a felicidade é obtida através da prosperidade material? Tem alguma coisa errada aí, não? Uma pena que os "crentes" da Universal não foram ensinados a ler a Bíblia, ao invés disso, o livro que carregam por debaixo do braço é o best-seller "Nada a Perder 1, 2 e 3".

Outra coisa, por que poucos conseguem supostamente "subir na vida" depois que entram para a Igreja? Não seria coeso se os declarados 1,8 milhões de brasileiros fiéis do país estivessem nadando em rios de dinheiro e desafogados de problemas financeiros e familiares? A realidade é bem diferente, né?

Tecnologia do Blogger.