Tem gente que ainda não sacou a pegada de "Velho Chico"

Por: Guilherme Diniz, 19/03/2016
Marina Nery roubou a cena no capítulo de sexta (18)
Depois de uma semana no ar, "Velho Chico", de Benedito Ruy Barbosa, não deve em nada. O diretor Luiz Fernando de Carvalho e sua equipe, até agora quebrou todos os protocolos das novelas anteriores por entregar uma trama com padrão de qualidade impecável.

Diálogos curtos ou quase nada, cenas intercaladas, olhares, instrumental, fotografia belíssima, luz, suor, sertão e poesia. É assim que Carvalho decidiu contar e dar vida ao texto caprichado da prole de Bené. Uma casadinha que deu certo. Aos poucos, a trama tem se desenrolado e novos personagens vão sendo inseridos nesta primeira fase. Sem correria.

Acontece que tal pegada tem causado certa estranheza para os que estão acostumados com o estilo de direção tão comuns em novelas globais. Os autores não fugiram dos elementos tradicionais de um folhetim, afinal "Velho Chico" é tradicional em tudo. A diferença está nas mãos e mente habilidosa de Carvalho. Um visionário. É sua visão diferenciada que tem deixado a novela emocionante e intrigante.

"Está lenta demais, não estou entendendo nada, que novela chata", já começaram a reclamar. Atitude natural de uma mente preguiçosa e mal acostumada. Se você curte novela, levante as mãos para o céu e agradeça, por que pode demorar muito para aparecer outra obra prima da teledramaturgia brasileira como esta. Independente de audiência, se "Velho Chico" manter a mesma pegada e qualidade marcante desta primeira semana até o final, certamente entrará para história.

Apenas uma observação. Se você acha a novela lenta, só para citar um exemplo, então não deve ter visto a avassaladora sequência final do capítulo da última sexta (18).

Veja também: 
"VelhoChico" arrepia e traz de volta a vontade de querer ver novela
Tecnologia do Blogger.