"Jornal Nacional' anda se inspirando na Record?

Por: Guiga Bates, 24/03/2016

O jornalista e colunista do UOL, Maurício Stycer, publicou uma crítica em referência a suposta "apelação" do "Jornal Nacional" em inspiração as táticas de Geraldo Luís e Gugu, na Record. 

Ele descreveu da seguinte forma:

"Na segunda-feira (21), a repórter Lília Teles contou ao publico do “Jornal Nacional” que “inventou” uma história para levar um entrevistado, que estava desempregado, ao encontro de seu futuro patrão. A reportagem testemunhou o momento em que Flavio recebe uma proposta de emprego e, emocionado, telefona para a mulher e conta o que aconteceu. “Não é todo dia que a gente tem a chance de contar uma história tão bonita quanto essa”, concluiu William Bonner, quase tão compungido quanto Gugu costuma ficar."

Será que se trata de "apelação"?

Primeiro, por que Geraldo e Gugu apelam? Sem a artimanha, eles não tem audiência satisfatória, derrapam. Contar histórias é o combustível dos programas da Record. Em relação ao JN, será que está precisando apelar dessa forma segurar a audiência. Não é o caso! Vale lembrar que o principal jornalístico da Globo atravessa uma excelente fase e tem cravado médias em torno de 30 pontos no Ibope, alavancado pelo sucesso da novela das sete, "Totalmente Demais", e cobertura dos escândalos políticos. Pelo menos, até o momento, o JN não está desesperado assim como os dois da Record.

Segundo, de uns tempos pra cá, o telejornal adotou uma pegada menos hard em sua reformulação desde o ano passado, apesar de ultimamente dar tanto destaque a política, impossível a essa altura do campeonato. Para quem assiste o JN assiduamente, percebe que vez por outra, aparecem matérias como essas que o Stycer apontou. Defino como reportagens "água com açúcar" para dar uma aliviada, geralmente no fim da edição e com curta duração.

Stycer também cita outra impressão parecida com o que ocorreu no "Mais Você". Mas aí, já é outra história e tem lá seus fundos de verdades.

Sobre o JN, o que você acha?
Tecnologia do Blogger.