“Altas Horas” segue se popularizando e deixa de ser “vida inteligente nas madrugadas”

Por: Vitor Nobre, 13/03/2016

Serginho Groisman e convidados
Neste sábado (12), foi levada ao ar mais uma edição do programa "Altas Horas". A fraca atração comandada por Serginho Groisman deixou de ser uma opção inteligente nas madrugadas, se tornando comum e chato.

Recebendo o ex-jogador Beletti, a atriz mirim Mel Maia, o ator Sério Guinzé e os cantores Ângela Maria e Cauby Peixoto, o programa foi mais do mesmo. Sem grandes inovações desde muito tempo, a edição ainda deu espaço para o projeto de cantora Valeska Popozuda ensinar a trocar o pneu de um carro. Será que Serginho e a equipe do programa não tinham nada melhor para apresentar? Fala sério!

O programa ainda apresentou um novo quadro desinteressante e desnecessário, onde pessoas que estejam em algum show de música possam mandar um vídeo para o programa informando o local em que está. Sério? Essa é a novidade? Triste decadência para um programa que já foi considerado um dos melhores da TV brasileira.

A concorrência no horário fez com que o “Altas Horas” fosse popularizado, perdendo sua essência inteligente. Mas, parece que a inteligência do programa não foi a única coisa afetada, a criatividade dos produtores também foi comprometida. O programa virou uma completa encheção de linguiça, cheio de quadros dispensáveis e um ótimo apresentador perdido em um programa ruim.
Tecnologia do Blogger.