O que será da Record sem os milhões da Igreja Universal?

Por: Ton Estevão, 21.02.2016
Colaboração: Guiga Bates
Edir Macedo, fundador e atual líder espiritual da IURD e proprietário da Rede Record
A Igreja Universal do Reino do Edir - me empolguei, do Reino de "Deus", está infiltrada que nem praga em várias emissoras da TV aberta. Menos na Globo que não aceita lixo, e no SBT que até o momento não precisa se rebaixar a tanto. Com o mesmo comportamento da prostituta do livo bíblico de Apocalipse, foi com a Record que a Igreja de Edir Macedo, maior "santo" do país, estabeleceu um casamento duradouro e lucrativo. Não é de hoje que a parceria da Record com a Universal gera muitas controvérsias e polêmicas.

Essa semana circulou uma notícia de que a Igreja Universal tentou comprar o Canal 21 que pertence ao Grupo Bandeirante. Devido ao alto valor, cerca de R$ 1 bilhão, o negócio não foi concretizado. Já que não deu certo, vamos focar na relação Record x IURD?

Ocupando praticamente toda a madrugada da Record, a Igreja Universal conquista milhares de fiéis com a sua propaganda agressiva e nada convencional: lavagem cerebral em cima dos pobres e falidos materialistas de plantão. Com prosperidade material, os bispos garantem a tal da felicidade e amizade com Deus. É mole?

Ataques à concorrência, em especial à Globo, são comuns no programa “Fala que eu Te Escuto”. Com um cenário caprichado, a atração é uma espécie de “TV Fama” evangélico, recheada de celebridades e assuntos picantes, além da opiniões dos telespectadores. Um lixo de programa que nada acrescenta. Falam, falam e falam e não chegam a lugar nenhum.

Estima-se que a IURD injete na Record cerca de R$ 500 milhões anuais para exibir seus programas. Se investem tanto é por que o retorno é significativo. Com esse dinheiro a Record pode investir alto na programação, na contratação de grandes artistas como Xuxa e Gugu, e se dar ao luxo de produzir novelas como “Os Dez Mandamentos” que teve um custo de R$700 mil por capítulo. Sem essa grana que sai do bolso dos bestas, a Record não conseguiria pagar suas contas.

Se você frequenta a Universal e deposita obrigatoriamente seu precioso dízimo que automaticamente é enviado para a Record e que sustenta a boa vida dos fariseus da IURD, desculpe a franqueza, você é um otário! Acorda pra vida!

Só que a parceria do "bem" entre IURD e Record tem demonstrado sinais de desgaste e se transformado numa disputa do mal nos bastidores.

A audiência dos programas da IURD tem despencado nos últimos anos. Quem vai deixar de dormir pra ver patifaria de bispo? Uma parcela insignificante de fiéis fanáticos e depressivos com insônia! 

O SBT chega a marcar o dobro de audiência no Ibope com a exibição do “The Noite”, “Okay Pessoal”, filmes e seriados. Por causa da baixa audiência na madrugada, a Record raramente consegue a vice liderança na média 24 horas. O departamento financeiro da Record entende que é preciso mais dinheiro para entregar de bandeja a vice liderança no horário.

Líderes da Universal já pensam em abandonar as madrugadas da Record. Com espaço na Band, Gazeta, RedeTV! e CNT, a IURD acredita que pode manter o crescimento de fiéis sem a parceria com a Record e sem um gasto tão exorbitante. 

Só assim, a Record se desligaria da imagem de emissora religiosa que carrega nas últimas duas décadas. Religiosa hipócrita, né? Bispo cobrando moralidade da Globo logo após as baixarias de "A Fazenda" não combinam. E se realmente o desligamento acontecer?

Sem o dinheiro da Igreja, a Record de Edir Macedo teria que cortar muitos gastos e despesas, se tornar uma empresa auto sustentável. Ou seja, vai falir! Não fará falta.

Veja também
Record usa tática descarada afim de promover políticos para as próximas eleições

Comente abaixo no Disqus!
Tecnologia do Blogger.