Globo pisa na concorrência com planejamento de dar inveja

Por: Guiga Bates, 10/02/2016

Luiz Fernando Carvalho nas gravações de "Velho Chico", nova novela das 21h
Não é a toa que a Globo pisa na concorrência e com gosto. Se tratando de planejamento, a Líder consegue pensar lá no horizonte dos horizontes. Bem diferente da Record e SBT que vive nas incertezas e falta de organização. 

O carro chefe da Globo continua ser a teledramaturgia. É o ganha pão e tradição que brasileiro gosta, retorno de boa audiência e faturamento. Apesar da audiência ter capengado nos últimos anos, a emissora tem conseguido começar 2016 mais aliviada com suas três principais novelas batendo ou ultrapassando a meta estipulada.

Se o futuro da TV aberta é incerta ou caótica, a Globo não está nem aí! A emissora segue planejando, metendo inveja na concorrência.

Segundo o jornalista Daniel Castro, "a Globo tem atualmente 20 novelas sendo preparadas ou escritas, incluindo as quatro que estão no ar.  Somente na faixa das 19h, há seis sinopses aprovadas com estreias agendadas até o início de 2018. A fila dos autores das 21h também já está definida até o final do ano que vem. Há ainda uma novela das 23h em gravação (Liberdade, Liberdade) e duas minisséries para essa faixa em fase de roteirização."

É muito organização e planejamento, não? Do outro lado, a emissora do Edir e do Sílvio Santos se esbaldam da desorganização e canguinhagem.

A Record, depois que repentinamente explodiu com a novela bíblica, não pensa em outra coisa a não ser dar continuidade ao sucesso de "Os Dez Mandamentos", nem que isso signifique chegar até o Apocalipse e quem sabe no futuro migrar para o Alcorão. 

Se houvesse planejamento para tal feito, seria ótimo. Porém, acontece que a emissora mal começou as gravações da sequência dos hebreus, que por sinal foi pensada de última hora, e ainda não sabe como iniciar "A Terra Prometida". No banco de espera está a concluída "Escrava Mãe", trama derivada da requentada "Escrava Isaura". Para tapear, os bispos preferiram enfiar reprises na programação do horário nobre. Depois disso, não há sinais de planejamento a longo prazo. A Record vai jogando o barro. O que colou, colou. 

O caso do SBT mão-de-vaca é ainda mais triste. O sonho de um segundo horário de novelas foi por água abaixo. A emissora que prefere se acomodar do que gastar, mantém apenas uma novela inédita no ar e só planeja uma por vez. O público adulto que adora novelas passa longe do SBT. Diferente da década de noventa, é visível que o SBT esvaziou a capacidade e não deseja investir afim de garantir uma boa programação.

Com visão aguçada para o futuro, a Globo sapateia e se mantém longe "das inimiga". Não é que o público seja automático. O telespectador quer uma boa e variada programação sólida. É pedir demais? Na TV aberta, somente a Globo proporciona isso. Fazer o que, haters? Planejamento e respeito ao público só se vê na Globo. Aceitem!

Estou errado? Comente abaixo no Disqus!
Tecnologia do Blogger.