"Tá No Ar" volta com tudo e mais escrachado

O humorístico tira sarro da própria Globo
O humor sempre foi o "Calcanhar de Aquiles" na programação da Globo. Depois de tanto labutar e sofrer na língua do público mais arrojado por lançar e manter programas imbecis e sem graça, a exemplo do "Divertics", "Tomara que Caia" e antigo "Zorra Total", ultimamente a líder tem acertado a mão na linha humorística.

O destaque da vez vai para a série de Marcelo Adnet em parceria com Marcius Mellhem, o "Tá No Ar: A TV na TV", um sucesso de público e crítica que depois de duas temporadas, chegou na telinha em seu terceiro ano nesta terça (19). Nesta estreia não foi diferente, o humorístico voltou com tudo e mais escrachado.

Adnet finalmente se reencontrou no melhor que sabe fazer. Quebrou a cara quem jogou praga no artista achando que a Globo colocaria seu talento a perder. Marcius conseguiu se desligar dos personagens caricatos e ridículos de seu curriculum na TV e se mostra um cara super sagaz e inteligente no ramo. A dupla roteiriza a atração, além de atuar nela.

O restante do elenco também não fica por baixo. Welder Rodrigues, Dalton Mello, Renata Gaspar, Carol Portes, Luana Martau, Georgiana Góes e Verônica Debom completam o time com atuações super engraçadas.

O hilários 'Jardim Urgente' e 'Militante' voltaram ainda mais inusitados! O "Te Prendi na TV" que satiriza o programa do João Kléber, apareceu como novidade. O musical da carteirada e jeitinho brasileiro foi uma bela de uma homenagem ao nosso povo.

Assim como nas temporadas anteriores, o "Tá No Ar" continua a acertar na proposta ao mexer com a concorrência, em autocrítica e no uso de metalinguagem. Tudo é muito bem encaixado e fragmentado pelo diretor Maurício Farias, numa zapeada frenética por diversos canais. As esquetes são de fácil entendimento e ao mesmo tempo estimula o pensamento crítico da condição de seu alvo, a TV. Com exceção de algumas tiradas que exigem um pouco de esforço, bom entendedores captarão a mensagem de primeira, os preguiçosos acharão sem graça e sem sentido.

O texto de Adnet e Marcius continua bem afiado. Com graça e deboche cutucam tabus que comumente a própria Globo até tempos atrás evitava em tocar. Não sabemos até que ponto a emissora vai liberar tal ousadia para os roteiristas. Apesar de ter sido linha dura e orgulhosa em estabelecer seus próprios padrões por décadas, é nítido que a cinquentona se agrada do que tem produzido. 

Vale também salientar a coragem em bulir com marcas por meio de sátiras. Segundo os criadores, a Globo não impõe limites nesse quesito. O risco é afastar patrocínio.

O texto e estilo do "Tá No Ar" pode até ser inovador e revolucionário, mas ainda não escapa de trazer a memória do telespectador o “Casseta & Planeta” e “TV Pirata”, humorísticos pioneiros na TV. Tais programas utilizaram originalmente os mesmos recursos e elementos do programa atual e merecem ser lembrados com louvor.

A terceira temporada continuará no ar até 5 de abril. Até lá vale a pena aproveitar para rir fechando a noite com humor inteligente e de qualidade. Nem parece que é na Globo, né?

E você, o que achou da estreia do "Tá No Ar"? Comente abaixo no Disqus.

                                                                                     Por: Guiga Bates, redator-chefe do Detona TV

Tecnologia do Blogger.