"Eta Mundo Bom!" tem estreia simplória e agrada sem muito esforço

Sérgio Guizé, protagonista de "Eta Mundo Bom!"
Sabe aquela novela que conquista qualquer noveleiro logo na estreia e deixa aquele gostinho de acompanhar até o fim? 

"Eta Mundo Bom!" estreou nesta segunda (18) na telinha da Globo. Escrita por Walcyr Carrasco, a trama é inspirada em Mazzaropi e também baseado no conto “Cândido”, de Voltaire. De cara conquistou sem precisar de muito esforço. Até quem não gosta muito de novela, feito quem vos escreve, se derreteu.

Neste primeiro capítulo o autor não se preocupou em causar ou chamar atenção como é de costume logo no início de uma trama. A estreia bem simplória agradou.

Candinho foi separado da mãe logo após seu nascimento e foi acolhido pelo casal Cunegundes e Quinzinho, donos de uma fazenda, no interior de São Paulo, nos anos 1920. Mas quando cresce, Candinho vira empregado nessa casa e é expulso por se apaixonar pela primogênita, Filomena. Pancrácio, amigo da família que criou Candinho e seu grande mentor, o aconselha a seguir para a capital em busca da mãe biológica, Anastácia, que ele nunca conheceu. Assim o moço viaja junto de seu inseparável burro, Policarpo.

A partir da jornada do personagem de Sérgio Guizé, boa parte do elenco dará as caras na trama. Até então pode-se notar um desempenho satisfatório do protagonista da trama. Candinho é a cara do Guizé. Elizabeth Savalla nasceu para dar vida a personagens de Carrasco, a cada aparição de sua personagem de nome esquisito, Cunegundes, o riso era garantido. Camila Queiroz e Débora Nascimento ainda não mostraram a que veio. A grata e boa sensação de ver Marco Nanini e seu personagem poético e humano garantiu peso a estreia e possivelmente emocionará o público ao longo da trama.

O sotaque interiorano arrastado e exagerado deve ser reparado. Em alguns diálogos quase não se dava para entender certas palavras, como no caso de Savalla que deu uma escorregada.

Jorge Fernando que assume a direção geral e núcleo, se mostra competente ao dar vida ao cenário de época e tramas com teor cômico. Em algumas cenas, é perceptível um cuidado a mais da direção. A fotografia e filtro, aquelas cores na novela, enchem os olhos.

A trilha sonora é um acerto. Suricato embala a abertura de 'Eta Mundo Bom!" com "O Sanfoneiro Só Tocava Isso". Apesar da abertura ser flopante, a escolha da canção caiu como uma luva. Uma mesclagem de cenas pré-gravadas da novela e arquivos de época deixou a desejar, lembrou abertura de novela mexicana. Se o público reclamar quem sabe a Globo muda.

A novela foi parar em primeiro lugar nos assuntos mais comentados no Twitter. Marcou 25 pontos de audiência em São Paulo, segundo dados prévios divulgados pelo Ibope, superando as antecessoras.

Bem tradicional, sem novidades, mas com enredo simples e gostoso de acompanhar, a Globo parece ter acertado a mão em "Eta Mundo Bom!" e agradado o público. Pode ser cedo para falar isso, mas se tratando da temática e autor, o sucesso pode estar garantido.

Comente abaixo no Disqus.

                                                                                     Por: Guiga Bates, redator-chefe do Detona TV
Tecnologia do Blogger.