Fabíola Reipert ascende na Record ao destilar seu veneno

Reinaldo Gottino e Fabíola Reipert no quadro "Hora da Venenosa"
Há alguns meses a edição vespertina do "Balanço Geral", programinha podre e sem identidade da Record, vem chamando a atenção do público. Não me refiro as desgraças que a emissora insiste em destacar na atração. O programa aposta numa mistura louca de conteúdo. Pautas policiais, assistencialistas e fofocas. Não dá para definir do que realmente se trata esse lixo.

O que tem dado o que falar é a participação da jornalista e colunista Fabíola Reipert, do portal de notícias R7, ao meu ver, um dos piores do país. Além de manter um blog sobre celebridades no portal, diariamente participa de um quadro do BG, chamado "Hora da Venenosa". É esse o quadro que tem tirado a liderança da Globo no horário e também tem irritado alguns famosos. O momento é repleto de notas rasas, pífias e polêmicas. É das notas polêmicas que o público gosta. Quem não gosta de uma vidinha dos outros, né?  Numa bancada apertada, a jornalista se espreme ao lado do apresentador Reinaldo Gottino, de uma cobra de pano, e de um apagado comentarista sobre segurança pública, Renato Lombardi. A trupe se esbalda na bagunça.

Assim como no blog, Fabíola lança seu veneno através de notas. Quem acompanha a fofoqueira há algum tempo ou analisa o teor de suas publicações e falas, percebe as seguintes características:

Imprensa marrom. Sensacionalismo através da divulgação exagerada de fatos e acontecimentos. Quanto mais sensacionalista, mais famosa e visibilidade ela tem. Mais audiência para o BG.

Ataque direto. Quando Reipert cisma com a cara de um famoso e sabe que não sofrerá grandes consequências, sem pudor ela lança nomes e podres específicos, para a alegria geral dos fifis.

Notas incompletas. Este é um artificio que atrai mais a curiosidade alheia, gerando muitas especulações, milhares de clicks em seu blog e audiência na TV. Todo mundo quer saber de quem se trata a fofoca. De forma covarde e astuta, a jornalista não divulga nomes. Correndo de um processo, apenas solta alguma pista rasa.

Notas duvidosas. Por causa da característica anterior, o público ainda fica com a pulga atrás da orelha, se devem ou não engolir todo e qualquer veneno que Fabíola destila. Quem ao ler ou ouvir sobre suas notas, nunca se perguntou: "Será? Vindo da Fabíola, acho difícil ser verdade."? A relutância da jornalista em expor todos os detalhes de forma nua e crua, resulta em descrédito e fama de caluniadora.

Hipocrisia. Todo o conteúdo da Fabíola se concentra principalmente nas celebridades Globais e na própria Globo, assim como a emissora do bispos não vive sem a Globo. A jornalista se tornou o principal meio da Record em atacar a rival de forma mais direta e descarada. Que baixo nível! Por outro lado, a jornalista evita ao máximo tocar nos nomes da Record. Ora, estes também não são celebridades? Ou será que na Record tudo é flores a ponto da Fabíola não saber de nada do que acontece pelos corredores de sua emissora? Lógico que seria loucura atacar os contratados e colegas de emissora. Ainda bem que outros jornalistas cumprem bem a função de escancarar os podres da Record. E se algum dia um alvo da Fabíola se mudar para Record? Pense na saia justa e hipocrisia estampada na cara da jornalista e da direção que permite tais ataques!

Fabíola acumula caras feias, ódio, desavenças de famosos e processos nas costas. Suzana Vieira e Raí emocionados! Apesar disso, muitas de suas notas no fim se atestam verídicas, afinal ela deve ter suas fontes seguras. Outras são automaticamente desmascaradas pelas vítimas de seu veneno. E as não resolvidas, ficam apenas na imaginação e especulação do público.

Quando se é famoso naturalmente surgem inúmeras especulações sobre tudo. Fulano é gay, traiu o cônjuge, fez plástica? Quem tá na chuva é para se molhar. Tem muito famoso por aí que propositalmente adora ser visto em manchetes, até por que sem fofocas desapareceriam da mídia num piscar de olhos. Um prato cheio para Fabíola. Porém, existem aqueles mais reservados que preferem levar uma vida mais pacata.

Então, até que ponto vai o limite da ousadia, intromissão e fofocas da vida alheia? Famoso não tem direito de poder resguardar suas intimidades sem medo de ser exposto por jornalistas do tipo da Fabíola? Uma coisa é certa, quanto mais polêmica for a Venenosa, mais ela se queima diante dos famosos e ao mesmo tempo, ascende com status de celebridade e sinônimo de audiência na Record.

                                                                                                            12.01.2016. Por: Guiga Bates 
Tecnologia do Blogger.