O que será do "Vídeo Show" sem Mônica Iozzi?

Sem dúvidas Mônica Iozzi foi uma revelação e raridade no comando do defasado Vídeo Show. Desde sua época como repórter no CQC, Iozzi já mostrava potencial. O que chama atenção é seu jeito despretensioso, debochado, ácido e desbocado sem filtro para falar o que vem na cabeça.

No Vídeo Show ao vivo, já cutucou as olheiras do temido e sério William Waack. Esculhambou o cenário puxadinho do próprio programa, disse ao Jô que só estava no Vídeo Show por que Boninho é seu chefe, e deixou claro que falar de famosos e fazer sensacionalismo é o que faz subir audiência no caso Joelma. Sem contar suas tiradas nas redes sociais que sempre chamam atenção do publico e imprensa.

Nunca se viu alguém desse calibre na Globo e com tanto poder de escolha. Seu desejo explícito é voltar a atuar, estudou para isso e já fez teatro. Se destacou na emissora ao interpretar a personagem Scarlett em "Alto Astral". Talento tem de sobra.

A questão é: Quem vai ocupar seu lugar no Vídeo Show? A audiência não é mais a mesma, hoje oscila entre 8 e 10 pontos com recordes raríssimos. É como se a Iozzi segurasse o programa nas costas. Errando ou fazendo piada venenosa, impossível era não se divertir com ela.

Otaviano Costa se tornou coadjuvante perto dela, forçou a barra o tempo todo para não ficar por debaixo do talento e brilho ofuscante da Mônica. Chato, irritante e cheio de caras e bocas. Mônica sem Otaviano, sobrevive. Mas, Otaviano sem a Mônica?

Conteúdo e acervo a Globo tem. Só falta alguém a altura para substituir a melhor apresentadora que o programa já teve.

                                                                                Por: Guiga Bates, atualizado em 15.02.2016
Tecnologia do Blogger.