Recentes

Tecnologia do Blogger.

Mesmo em boa fase, "Programa do Ratinho" ainda fede a queijo podre

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015
29.12.2016

Lá vou eu novamente encarar a nossa tão querida TV aberta. Ao ligar minha TV na noite desta terça (29), sinto logo o cheiro de coisa podre exalando pela tela. A missão era identificar de onde vinha. Zapeando pelos canais, me deparei com a origem da fedentina. Ao sintonizar no SBT, a sensação era estar diante de um queijo estragado. Lá estava um rato no comando de um dos programas mais bagunçados e baixo nível da TV brasileira, o "Programa do Ratinho", apresentado pelo Carlos Massa, popularmente conhecido como Ratinho, lógico. Como desculpa e abusando do slogan "A TV Mais Feliz do Brasil", o estagnado SBT empurra tal programa como se fosse o poço de diversão em sua deficiente linha de shows.

A pessoa do Ratinho pode até ser super divertida e dinâmica diante das câmeras, mas sua atração e conteúdo do programa se torna um completo desserviço a TV brasileira.

Começando pela plateia formada por uma caravana "Zé Povinho" favelada do sexo feminino. Descabelas e dispostas a tudo para aparecer, fazem questão de por curtíssimas minissaias, barriga de fora e gritar o tempo todo. A baixa renda se reúne ali na intenção de levar pra casa uma graninha extra. Em certos momentos, algumas mulheres quase caiam de pernas pra cima ao se engalfinharem umas com as outras. Uma baixaria!

Se você é daqueles que curte um programa mais calminho, então passe longe do SBT nesse horário. Uma gritaria, aquela maldita banda tocando sem parar, os câmeras provocando convulsão, gente correndo de um lado pro outro. E eu aqui me perguntado que diabos passa na cabeça de uma pessoa parar pra ver aquilo. Eu tive que assistir apenas para escrever esse post, tá?

No palco, uma completa bagunça. É tanto assistente desnecessário e sem noção que parece não caber num estúdio tão pequeno. Alguns se encaixam perfeitamente na proposta do programa que é causar confusão entre seus participantes e convidados, como o Santos e Faxinildo, que se acham comediantes.

Sem nada a oferecer, o programa preenche seu vazio com uma gincana em que a plateia fazia de tudo. Brincadeiras do tempo do bufão. Tão bobinhas. Adivinhar o que acontece na sequência de vídeos populares da internet, arremessar balões de água para propositalmente estourar na cabeça da mulherada, jogar torta na cara da Valentina. Uma versão "Passa ou Repassa" pior do que o original. Palhaçada desperdiçar um espaço tão disputado e valioso com um lixo desses.

A cada edição diária, algo diferente é levado ao ar. DNA, Tempo de Ganhar, Dez ou Mil, Trote, Boteco, Escolinha, Pousada, sei lá. Por azar, me deparei com tal desprazer essa noite. Quem sabe num outro dia, o conteúdo fosse um pouco melhor ou, bem pior do que foi exibido hoje.

Apesar de bancar e conduzir tal putrefaria em pleno horário nobre, aproveito para elogiar o Ratinho . Além de ter um histórico na política, o apresentador tem lá suas qualidades. Um baita comunicador que sabe falar a língua do povão. Capaz de formar opinião, basta soltar o verbo detonando políticos corruptos e mazelas do pais, que logo sua plateia o ovaciona com um sonoro "RA-TI-NHO, RA-TI-NHO!!!". Vale ressaltar também sua habilidade como entrevistador no quadro "2 Dedos de Prosa". Tá aí, um quadro que preste no programa!

Fadado ao comodismo típico do SBT e sem boas ideias, o "Programa do Ratinho" milagrosamente mantém sua boa fase em termos de audiência. Culpa do público que aprecia "queijo podre" na telinha. A desculpa é, tem gosto pra tudo. Ao que parece, enquanto o povão que prefere baixaria e bagunça na TV continuar a alimentar sua audiência, o programa continuará fedendo por um longo tempo.

O que achou da crítica? Comente do Disqus.

Recomendamos para você