Desespero e despreparo da Record faz 'Davi' jogar fora o que 'Moisés' conquistou

No dia 23 de outubro deste ano, a Record tomou uma decisão importante sobre os rumos de sua programação após o término da interminável "Os Dez Mandamentos". Decisão que com certeza a faria se arrepender amargamente depois.

"Escrava Mãe", substituta anunciada da trama inédita, foi mandada pros quintos de 2016. A intenção segunda a emissora era criar um novo horário de novelas que irá ao ar mais cedo, ainda em horário indefinido.

No fim das contas, enfiar uma reprise, a saber "Davi" no lugar de "Escrava" era não perder o público que adquiriu com "Os Dez Mandamentos", que em sua época de ouro marcava médias acima de 20 pontos de audiência na Grande São Paulo e atingido a liderança em várias praças importantes do Brasil, como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Goiânia e Belém.

Inocência foi achar que "Rei Davi" seguraria o rojão. Que nada! Durante a primeira semana que dividiu com os últimos capítulos já saturados da novela de Moisés, a série compactada em até quinze minutos e depois em uma hora, alcançava média de 16 pontos na Grande São Paulo. Completamente dependente, tadinha! O desespero veio a tona quando Davi começou a andar com as próprias pernas. Numa sequência de quedas, a audiência conquistada por Moisés foi se esvaziando que nem maré. Foram 13 na 3 º semana, 12 nas duas semanas seguintes e agora patina nos 11 pontos com média geral de 13,5. A série ainda tem 2 semanas pela frente e os índices não param de cair. Logo após Rei Davi, o Egito volta a tela da Record, só que dessa vez com outra reprise contando a história de José. Não espere muita coisa.

Quem se beneficiou? A concorrência é claro, vibrou! "Jornal Nacional" voltou a marcar bons índices entre 24/27 pontos e "Cúmplices de um Resgate" manteve seus 11 pontos. Se os "Dez Mandamentos" era pedra do sapato de "A Regra do Jogo", Davi fez a novela do JEC disparar de 25 para até 31 pontos.

Mas, "Rei Davi" ainda tá na vice, não? Não está marcando dois dígitos? Diz isso pra cúpula da Record e veja se estão satisfeitos com esse resultado catastrófico.

Quem se prejudicou? Claro, a Record. Toma distraída! Marcelo Rezende que chegava a cutucar o "Jornal Nacional" com vitórias indignas de minutos, se calou e não passa dos dois dígitos. O "Jornal da Record" que antes era embalado pela novela bíblica, também está na mesma pindaíba. E na média do dia, o SBT começa a chegar junto de novo. No auge, a Record foi para 9 pontos e agora voltou para 6/7 pontos sofridos. Sem "A Fazenda" e "Batalha dos Confeiteiros" fica mais desesperador.

Uma tremenda falta de planejamento da direção da Record tomar tais decisões. Será que "Escrava Mãe" não tinha calibre para manter os índices da novela bíblica? Estavam com a faca e o queijo na mão. A Record pensou que o publico cairia no embalo bíblico aceitando uma re-re-reprise no lugar de uma novela inédia já anunciada?

Tudo foi ocasionado pelo sucesso inesperado de "Os Dez mandamentos". Nem a Record acreditou. Nem o público acreditou. Maior lambança. Nos últimos dois meses, a Record deixou transparecer seu despreparo e desespero, anunciando diferentes ideias e tomando decisões mirabolantes.

Só para resumir: depois de exibir chamadas de “A Escrava Mãe” como a novela que sucederia “Os Dez Mandamentos'', a emissora desistiu de apresentá-la já e resolveu colocar no horário reprises de séries bíblicas. E depois de anunciar que “Terra Prometida” entraria em março de 2016, novamente mudou de ideia e resolveu produzir antes uma “segunda temporada” de “Os Dez Mandamentos”, com cerca de 60 capítulos com direito a possível a esticamento.

Que bagunça e desrespeito para com seu publico.  E se os planos da Record mudarem novamente? Não duvide.

                                                                                      Por: Guiga Bates, redator-chefe do Detona TV
Tecnologia do Blogger.