Com audiência ascendente, núcleos de "A Regra do Jogo" ainda emperra a trama

Júlia Rabelo, Marcos Caruso e Marcelo Novaes em cena de "A Regra do Jogo"

A Regra do Jogo estreou dia 31 de agosto, acompanhada por muita expectativa. Pegando o horário em seu pior momento, devido à baixa audiência de sua antecessora, e a concorrência pesada de Os Dez Mandamentos.

A trama de João Emanuel Carneiro se reergueu, e já mostrou que pode prender o telespectador. Com uma trama central bem agitada, A Regra do Jogo peca por apostar em um núcleo cômico desastroso. Os personagens são fracos, e totalmente sem graça, chegando a ocupar quase 15 minutos da trama diariamente. 

Os núcleos raramente são bem distribuídos, e a edição teima em coloca-los juntos, como se fosse um Zorra Total interrompendo a sua novela. Eu mesmo já troquei de canal, e ou desliguei a minha televisão inúmeras vezes quando essas trama de “humor” atacam a minha TV. 

A Rede Globo já está ciente da rejeição dos personagens cômicos, pois a mesma promoveu um grupo de discussão, e chegou à conclusão que esses personagens cansam quem está interessado somente no desfecho da saga da facção. 

Vale Lembrar que a Rede Globo já promoveu um grupo de discussão para “A Regra do Jogo” antes, e ajustou o folhetim de acordo com a rejeição do público, deixando a trama mais clara, e apostando bastante em cenas românticas. Resta saber se o autor fará os ajustes necessários na parte cômica da trama.


Colaborador: Vitor Nobre

Tecnologia do Blogger.